O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse há poucos minutos que os “EUA vão responder” aos ataques norte-coreanos ao estúdio hollywoodiano Sony Pictures. Obama comentou que os consumidores do seu país não podem ser privados de assistir a um filme mesmo que ele supostamente ofenda ditadores de qualquer lugar do mundo.

“Nós não podemos ter uma sociedade em que algum ditador de algum lugar possa começar a impor censura aqui nos Estados Unidos. Imagine o que eles poderiam fazer se vissem um documentário que não gostem ou uma notícia que os desagrade. Ainda pior, imagine se produtoras e distribuidoras comecem a se autocensurar por não quererem ofender as sensibilidades de alguém que provavelmente precisa ter as sensibilidades ofendidas”, disse Obama em transmissão ao vivo pelo YouTube.

Ataques

Os ataques à Sony Pictures foram realizados por um grupo de hackers que exigia o cancelamento da distribuição do filme "A Entrevista", cuja trama mostra uma conspiração para assassinar o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un. Mais tarde, foi descoberto que a responsabilidade dos ataques era do governo norte-coreano e, hoje, o FBI acusou formalmente o país pelo ataque.

Obama terminou seu discurso sobre o assunto dizendo o seguinte: “Nós vamos responder, nós vamos responder de forma proporcional e em um lugar, hora e da maneira que escolhermos”.

Naturalmente, isso não é uma declaração de guerra, mas deixa as tensões entre os dois países ainda mais fortes. Obama recusou esclarecer a forma como os EUA devem responder à Coreia do Norte pelo acontecido quando perguntado pelos repórteres que estavam presentes.

Cupons de desconto TecMundo: