Nas últimas semanas, muito se falou a respeito da invasão de servidores da Sony Pictures e outros ataques destinados à mesma empresa. Muito se especulava acerca da origem dos ataques, sendo que as maiores desconfianças pairavam sobre a possibilidade de a Coreia do Norte ser a grande responsável pelo ocorrido. Nesta semana, alguns jornais norte-americanos confirmaram a origem e hoje a denúncia foi oficializada.

Em um comunicado oficial, o FBI — a Polícia Federal dos Estados Unidos da América — acusou formalmente a Coreia do Norte como a responsável pelos ataques. A instituição afirma que possui “informações suficientes para concluir que o governo norte-coreano é o responsável pelas ações”, apesar de ainda não ter revelado que informações são essas. Mesmo assim, foram reveladas três importantes fatores das investigações:

  • O malware usado nos ataques já era conhecido do FBI e várias linhas de código coincidem com outros arquivos maliciosos originados da Coreia do Norte.
  • Diversos endereços de IP associados ao país foram relacionados aos malwares utilizados no ataque.
  • Ferramentas usadas na invasão deixaram traços similares aos vistos nos ataques da Coreia do Norte aos bancos e veículos de imprensa da Coreia do Sul em 2013.

Como deixa claro o The Next Web, o FBI afirma estar profundamente preocupado com o quanto os ataques desse tipo podem afetar os setores privados e também os cidadãos. A Polícia também diz que vai trabalhar para identificar, encontrar e impor multas e outras consequências aos grupos ou países que ameaçarem os Estados Unidos ou os seus interesses.

E o filme, como está?

Talvez você se lembre que uma das motivações para que a Sony fosse atacada é o enredo do filme A Entrevista. Este filme produzido pela Sony Pictures mostraria uma missão de assassinato do ditador norte-coreano Kim Jong-um. Por temer ainda mais represálias, a Sony até mesmo cancelou a estreia do filme nos Estados Unidos e cogitou levar o filme diretamente para a exibição caseira.

Agora, os mesmos hackers que já haviam invadido a Sony anteriormente enviaram outras mensagens para os executivos da produtora. Segundo documentos obtidos pela CNN, eles afirmam que não vão mais realizar nenhum ataque e nem voltarão a ser notícias, desde que a Sony Pictures “nunca permita a exibição dos filmes”, seja no cinema, em DVD ou mesmo permitindo a pirataria. Eles também exigem que todo o conteúdo online — incluindo trailers — seja excluído.

Vale dizer que a Sony ainda não declarou seu posicionamento oficial. Será que algum dia veremos o filme chegando às salas de cinema ou é melhor — para a segurança mundial — fazer com que ele fique para sempre esquecido?

Cupons de desconto TecMundo: