Uma série de ataques contra sites que, de alguma forma, apoiam a Copa tem sido constatada, conforme informa o portal Info. As ações são rogadas por membros da organização brasileira do coletivo Anonymous. Também de acordo com o site, a Negação Distribuída de Serviço (DDoS) tem se configurado como a frente dos ataques executados. “Companhias e instituições que trabalham com um governo que nega direitos básicos a seu povo para promover um evento esportivo privado, exclusivo e corrupto serão alvos", disse o popular hacker Che Commodore.

Na prática, significa que sites, abarrotados por múltiplas requisições de dados, acabam caindo quando um DDoS é feito. Até o momento, especula-se que portais do governo (como o do Mato Grosso) e até mesmo de empresas privadas (como o da Hyundai, uma das patrocinadoras do campeonato mundial) foram vitimados pelos hackers. O serviço de email do Ministério de Relações Exteriores foi invadido no mês passado; uma lista de dignatários estrangeiros que assistiriam à Copa acabou vazando internet afora.

Deve-se mencionar, porém, que segundo um representante da Abin (Agência Brasileira de Inteligência), o site governamental em xeque saiu do ar nesse sábado durante certo momento “para manutenção”. O ataque teria sido, assim, “totalmente falso”. A Hyundai também negou que foi vítima de ações hacker.

Imagem exibida pelo espaço que lista os alvos dos ataques (saiba mais abaixo).

Por outro lado, um aumento “na atividade hacker” foi constatado por um porta-voz do Ministério da Defesa, "mas nenhum ataque aos portais federais foi até o momento registrado". Fato é que este tipo de atividade já era esperado: em fevereiro deste ano, hackers brasileiros pertencentes a movimentos ativistas já tinham anunciado a ação – na época, Che Commodore também ganhou os holofotes da mídia (veja mais aqui).

Listas elencam sites que serão alvo de ataques

Listas publicadas pelo espaço Hackers News Bulletin elencam uma série de sites que deverão ser atacados durante a Copa (confira o documento na íntegra por meio deste link). Conforme se pode conferir a partir da publicação feita pelo portal, até mesmo o site do Procon (SP) foi retirado do ar (até o momento de publicação desta notícia, o endereço encontrava-se de fato offline - veja a imagem abaixo).

Imagem exibida pelo Procon de SP não deixa dúvidas de que o ataque foi executado.

Ainda no início deste ano, William Beer, técnico em segurança online da empresa de consultoria Alvarez & Marsal, confessou à Reuters que tudo era apenas uma questão de tempo. “O ponto não é a possibilidade de ataques à Copa, mas sim quando eles serão feitos”. Na mesma época, José Carlos dos Santos, general responsável pelas empreitadas de combate do Exército a ataques virtuais, afirmou que o Brasil estaria preparado. “Seria irresponsável dizer que qualquer país está 100% preparado para uma ameaça. Mas o Brasil está pronto para responder às prováveis ameaças”, comentou o militar. Este tema certamente irá protagonizar mais notícias durante o período de Copa.

Atualização

O site do Procon (SP) encontra-se novamente online.

Cupons de desconto TecMundo: