Com uma responsabilidade imensa nas costas ao assumir o comando da Apple, Tim Cook levantou dúvidas a respeito de sua capacidade em tocar o negócio adequadamente. Ao que parece, não havia motivos para duvidar do moço, já que a empresa vive um de seus melhores momentos, ostentando uma renda monstruosa e convertendo amantes do Android para seu iOS. Agora, um relatório do IDC mostra que parte dos usuários roubados do sistema mobile concorrente podem ter vindo de uma das suas competidoras mais ferrenhas: a Samsung.

Os dados divulgados nesta quinta-feira (23) são relativos ao segundo trimestre deste ano no mercado de smartphones, com os números atuais sendo comparados com o mesmo período de 2014. Logo de cara, é possível conferir que enquanto a sul-coreana sofreu uma pequena queda, perdendo 3,1% na sua participação no mercado, enquanto a Empresa da Maçã deu continuidade a seu crescimento no setor, anotando um aumento real de 2,4% de sua fatia. As principais fabricantes chinesas também subiram, com exceção da Lenovo/Motorola.

A Samsung continua na frente no número de celulares comercializados, com 73,2 milhões de unidades – uma queda em relação às 74,9 milhões do ano anterior –, ao mesmo tempo que a Apple chegou aos 47,5 milhões de smartphones vendidos, superando em cerca de 12 milhões a marca de 2014 – um ganho substancial de 34,9%. Mesmo com a ascensão das empresas da China, esses montantes colossais posicionam a dupla consideravelmente acima de Huawei e Xiaomi, que junto do material da Lenovo abocanham por volta de 19% do segmento.

Essa agitação do mercado anima ainda mais quem acompanha o cenário mundial, já que esse e o próximo trimestre vão estar recheados de novidades mobile para todos os gostos. Duvida? Em poucos dias teremos tanto a chegada do aguardado OnePlus 2 como as informações oficiais a respeito das novas versões do Moto G do Moto X. Mais adiante, outros peso-pesados devem dar as caras, com os consumidores ávidos para saber mais sobre o iPhone 6s, Galaxy S6 Edge+ e o robusto Galaxy Note 5. Como será que tudo isso vai afetar o próximo relatório?

A boa fase da Apple não tem hora para acabar ou pode balançar com lançamentos dos concorrentes? Comente sobre o tema no Fórum do TecMundo!

Cupons de desconto TecMundo: