Tim Cook tem motivos de sobra para comemorar os resultados apresentados pela Apple (21) hoje, relativos ao terceiro trimestre fiscal da companhia em 2015. A gigante americana teve, no período de abril a junho, uma receita de 49,6 bilhões de dólares – sendo 64% dela proveniente de vendas internacionais – e um lucro de 10,7 bilhões. O retorno por ação da empresa ficou em US$ 1,85.

Um dos destaques no resultado é o aumento de 35% nas vendas do iPhone, que atingiram um novo recorde: 47 milhões de unidades vendidas em todo o mundo. Segundo Cook, nunca tivemos tantos usuários de Android migrando para o dispositivo da Apple.

A China e a Índia tiveram um aumento de 85% em suas vendas do aparelho, ampliando substancialmente a participação da Apple na Ásia. Tudo isso ajudou para que a receita proveniente do iPhone tivesse um aumento de 59% com relação ao mesmo período do ano passado.

O Mac também subiu, mas o iPad não

Outro aparelho que teve números melhores do que em 2014 foi o Mac, que, segundo Tim Cook, apresentou "ótimas vendas": foram 4,7 milhões de unidades vendidas, fazendo com que computador da Apple tivesse um crescimento de 9% em sua receita. Segundo o executivo, isso aumenta a expectativa da empresa para o lançamento do novo iOS 9, do OS X El Capitan e do watchOS 2, que chegarão ainda neste ano.

Já o iPad teve uma queda relativamente grande em suas vendas, com 23% menos receita gerada se comparada á do mesmo período do ano passado. O tablet teve 10,9 milhões unidades vendidas no último trimestre fiscal, menos do que as 13,2 milhões do Q3 de 2014. É o sexto trimestre consecutivo em que o aparelho apresenta queda nas vendas.

O estreante deste ano, no entanto, é o Apple Watch. Lançado dia 24 de abril, é a primeira vez que os resultados do wearable aparecem no relatório fiscal da empresa, e, segundo Cook, foi uma ótima estreia: a contribuição do relógio inteligente nas vendas em seu primeiro trimestre é estimada em mais de 1 bilhão de dólares.

Serviços vendidos através da App Store, como o iTunes, AppleCare, Apple Pay e outros, também bateram recorde e apresentaram uma receita de 5 bilhões de dólares.

Mais de 200 bilhões de dólares no bolso

O resultado do terceiro trimestre fiscal fez com que a Apple quebrasse outra marca: a empresa agora tem mais de 200 bilhões de dólares em capital disponível, um aumento de 8 bilhões em relação ao Q2.

Um "problema" ótimo para a companhia, que deverá decidir agora entre investir o dinheiro nos negócios ou retornar parte dele aos investidores em forma de dividendos.

Cupons de desconto TecMundo: