A Apple muito provavelmente apresentará seu mais novo serviço de streaming de música duante a WWDC 2015, que acontece de 8 a 12 de junho em San Francisco, na Califórnia. Com a proximidade do evento, começam a surgir novas — e quentes — especulações sobre o que será anunciado no palco da conferência.

O The Wall Street Journal relata que o serviço custará US$ 10 mensais. Essa assinatura dará a você o direito de ouvir qualquer música do serviço sem propagandas ou limitações.

Por enquanto, o nome da plataforma ainda não vazou e a imprensa internacional não parece apostar em nenhum em especial. Vale lembrar que ela será uma espécie de "versão 2.0" do Beats Music, adquirido no ano passado como parte da compra da Beats.

Em busca de um trunfo

Porém, a Apple está em um dilema complicado: ela precisa fornecer aquilo que o público quer, é verdade, mas também se distanciar de rivais e apresentar novidades que convençam ouvintes a largar o Spotify, por exemplo.

Por isso, ainda de acordo com o site, o cadastro gratuito no streaming da Apple será diferenciado. Em vez de ouvir músicas normalmente intercaladas com publicidade, você terá acesso a web rádios comandadas por uma equipe bem especial de DJs. Rumores antigos falavam em Pharrell Williams, Drake e David Guetta, só para citar alguns nomes. Gravadoras poderosas, como Universal Music, Sony e Warner Bros., negociam com a gigante há algum tempo, mas ainda não se sabe a natureza dos contratos.

Essa seleção de DJs também contaria com propagandas, e a ideia é fazer com que você assine o serviço para conhecer mais a fundo os artistas escutados nas estações. Um aplicativo para Android — que seria algo inédito na estratégia de exclusividade da empresa — também pode estar a caminho, já que a ideia é derrotar rivais que hoje já estão bem consolidados na indústria.

Cupons de desconto TecMundo: