Você constantemente acompanha aqui no TecMundo o vazamento de protótipos, informações sobre peças, fotos e rascunhos de produtos a serem lançados, especialmente da Apple. Os culpados normalmente são funcionários malandros das fabricantes (quase sempre chinesas ou taiwanesas) responsáveis por certos componentes dos aparelhos. Pode não parecer, mas as consequências de estragar as surpresas da Maçã são terríveis.

De acordo com um documento oficial, a Apple força essas empresas parceiras a pagarem uma multa de até US$ 50 milhões (ou R$ 120 milhões, na cotação atual) por conta de vazamentos e "surpresas estragadas", sejam sem querer ou propositais. Empresas gigantes nem ligam para esses valores, mas fabricantes que participam de pequenos processos sentem o baque.

O curioso é de onde surgiu essa informação: o dado foi encontrado no processo da declaração de falência da GT Advanced Technologies, que originalmente forneceria as telas de safira para o iPhone 6.

Como os displays não saíram, o preço das ações da GTAT despencou. Além disso, a fabricante ainda deve US$ 600 milhões à Maçã em pagamentos adiantados pelos equipamentos das telas não usadas, sem contar a multa — e isso levou a GTAT a pedir ajuda ao governo para sobreviver. A companhia acusa a Maçã de comportamento opressivo e ameaça revelar mais detalhes do acordo com a Apple (e das tecnologias planejadas pela empresa para o futuro).

Cupons de desconto TecMundo: