Quando gigantes da tecnologia — leia-se Amazon, Facebook, Google, Microsoft e IBM — se uniram em setembro do ano passado em um consórcio de pesquisa para o desenvolvimento da Inteligência Artificial (ou Artificial Intelligence - AI) muita gente se perguntou: mas e a Apple, por que ela não se juntou ao grupo? A resposta veio nesta semana, quando a Maçã confirmou sua participação.

Enquanto outras organizações vêm divulgando avanços no setor, a empresa de Cupertino até agora trata o assunto com discrição. O silêncio vem sendo quebrado aos poucos e no mês passado alguns projetos — a exemplo de estudos sobre máquina de aprendizado — foram apresentados durante uma conferência fechada em Barcelona.

Apple já vem atuando nesse setor há algum tempo e agora deve passar a publicar os resultados de suas avaliações e projetos

Duas semanas atrás, a companhia emitiu o primeiro documento público oficial, sobre reconhecimento inteligente de imagens. A entrada para o Partnership AI revela o que muita gente especulava nos bastidores, que ela vem atuando em sigilo nessa frente já há algum tempo. Rumores até indicam que conceitos de AI em áreas como saúde, redes neurais, assistentes digitais e linguagem estão bem adiantados.

O que é a Partnership on AI

A entidade que reúne os grandes nomes do Vale do Silício diz não ter interesse em lucros. Ela teria sido criada para “estabelecer um estudo e formular as melhores práticas nas tecnologias de AI, para melhorar o entendimento do público e servir como uma plataforma aberta para discussão e engajamento sobre o assunto e sua influência sobre as pessoas e a sociedade”.

Partnership on AI quer popularizar a Inteligência Artificial e esclarecer temas ligados ao assunto

Todos os membros assinaram um compromisso para a ampla divulgação dos resultados, contudo, ainda não há muita coisa detalhada nem muitas informações de como todos trabalham juntos. A Apple deve fazer o anúncio oficial sobre a parceria até o final desta semana.

Cupons de desconto TecMundo: