McAfee aposta em gadget de segurança e diz: 'estamos em uma ciberguerra'

1 min de leitura
Imagem de: McAfee aposta em gadget de segurança e diz: 'estamos em uma ciberguerra'
Avatar do autor

John McAfee, o polêmico milionário que já atestou a morte dos antivírus, anunciou sua candidatura à presidência dos EUA em setembro do ano passado. E sua aposta é clara: de acordo com o figurão, a terra do Tio Sam está enfrentando ciberataques; nada mais lógico, portanto, que investir em uma campanha focada no aprimoramento de políticas de segurança online.

Em entrevista ao Engadget durante a CES 2016, o excêntrico expert em softwares não apenas mencionou a má e vulnerável fase pela qual passa o setor de segurança dos EUA, mas também revelou detalhes quanto a seu mais novo acessório de proteção à privacidade.

Sob o nome de EveryKey, o gadget é uma chave-mestra capaz de destravar vários dispositivos através de um sinal Bluetooth, o que dispensa a memorização de senhas para cada tipo de serviço conectado. O diferencial do aparelho está no fato de que até mesmo máquinas conectadas à Internet das Coisas (IoT) podem ser controladas – portas de carros e de casas, por exemplo, podem ser abertas a partir da simples aproximação da EveryKey.

Mas a startup responsável pelo acessório tem ainda de trabalhar em uma solução a um problema trivial apresentado pela chave eletrônica: em caso de perda, o “congelamento” da EveryKey pode até ser feito via email. Acontece, porém, que se um usuário mal-intencionado roubar a chave, os aparelhos conectados, como celular ou computador, podem ser destravados. Uma das saídas seria o desenvolvimento de um mecanismo biométrico, como leitor de digitais ou de íris. Esse processo, contudo, exigiria a reformulação completa do hardware.

Guerra cibernética

“Estamos enfrentando uma guerra cibernética. O poder das redes [de proteção] da América tem 50 anos e está envelhecendo. A tecnologia e os computadores que executam e que permitem acesso à eletricidade em todo o país são completamente abertos e vulneráveis a um usuário de 13 anos que desejar hackear [a rede] a partir de qualquer lugar do mundo”, enfatizou McAfee.

Para o programador, o maior problema dos EUA hoje está relacionado à tecnologia. “Estamos há décadas de distância dos chineses e russos no que diz respeito ‘a softwares como armas”. McAfee se refere ao uso de programas tanto como mecanismos de defesa quanto como ferramentas de intimidação. “Temos que poder dizer: ‘olhe, se vocês apertarem um botão, nós vamos também apertar um botão”.

...

Qual antivírus você usa? Comente no Fórum do TecMundo

Comentários

Conteúdo disponível somente online
McAfee aposta em gadget de segurança e diz: 'estamos em uma ciberguerra'