O Fire Phone foi uma aposta bastante arriscada para a Amazon, que pretendia lançar um produto revolucionário e que bateria de frente com os principais concorrentes do mercado. A realidade, porém, foi bastante dura com o aparelho, que foi criticado exaustivamente pela imprensa e pelo público. Para desovar o estoque monstruoso de dispositivos no seu estoque, a empresa resolveu baixar mais uma vez o preço, chegando ao valor de US$ 199 – cerca de R$ 495 – pelo celular desbloqueado, sem necessidade de contrato.

Esta é a segunda vez que o smartphone, lançado inicialmente a US$ 649 (R$ 1.623), sofre um corte de preço para que a Amazon tente amaciar um pouco dos US$ 170 milhões em prejuízo causado pelo fracasso do produto. Para completar a pechincha do novo valor do Fire Phone, a gigante norte-americana do e-commerce está oferecendo gratuitamente um ano de Amazon Prime para quem adquirir o dispositivo – uma assinatura que geralmente custa US$ 99 (R$ 247) ao consumidor.

A Amazon já admitiu que errou na categoria de preço escolhida inicialmente para o seu primeiro celular, o que acabou destruindo a expectativa dos consumidores. É difícil dizer, porém, se sucessivos cortes no preço vão ter um efeito positivo para as vendas ou se a empresa tem em mãos o equivalente de hoje para os cartuchos de E.T. para o Atari, que foram enterrados no deserto na década de 1980 –  esses últimos, pelo menos, estão rendendo mais depois que foram resgatados.

Vale lembrar que a empresa sinalizou que o novo valor do aparelho é uma promoção por tempo limitado, provavelmente visando a Black Friday e se estendendo, no mínimo, até a próxima segunda-feira (1º), quando ocorre a Cyber Monday.

Cupons de desconto TecMundo: