A internet sem fio através da rede WiFi fez “milagres” na vida do homem moderno. Poder usa o computador, smartphone ou tablet em qualquer canto da casa – seja no quarto, na cozinha ou até mesmo no banheiro – é uma grande “dádiva” da qual podemos desfrutar atualmente e com que muitos de nossos antepassados nem sonhavam. No entanto, nem tudo são flores quando o assunto é a qualidade do sinal emitido pelos roteadores.

Quem tem WiFi em casa já sabe: sempre tem aqueles lugarzinhos onde a internet simplesmente não chega. E parece não adiantar apelar para maneiras nada comuns para melhorar o sinal da rede. No entanto, há soluções plausíveis e que realmente podem solucionar – ou pelo menos amenizar – o problema. Vamos a elas?

Aprenda a levar o sinal da rede WiFi para todos os cantos da sua casa.

1. Atualizar o hardware e o software do seu roteador

Se você está enfrentando dificuldades com a sua rede WiFi, seja na conexão ou na qualidade do sinal, que está fraco em determinado local, atualizar o software de seu roteador pode minimizar os problemas. Essa é uma dica batida e que muitos provavelmente já devem estar carecas de saber.

Porém, vale a pena recordar: acesse o site do fabricante e procure pelo modelo do seu roteador. Se houver, baixe a atualização, acesse o dispositivo através do navegador e faça o upgrade de firmware. Para mais dúvidas sobre o assunto, recomendamos o tutorial em vídeo como configurar uma rede sem fio.

É importante atualizar o hardware e o software de seu roteador.

Quando o assunto é o hardware, é preciso “batalhar” um pouco mais para atualizar seu dispositivo. Como muitos consumidores recebem o roteador – às vezes junto com o modem – da empresa de telefonia que está oferecendo o serviço de internet, trocar o aparelho por conta própria nem sempre é uma opção. Nestes casos, vale a pena ligar para a companhia e verificar se não há um modelo mais recente do seu equipamento e como trocá-lo.

Mas caso o roteador seja seu, comprar um melhor não vai ser um grande problema. Se você estiver cheio da grana, apostar em produtos como o AC3200 da D-Link seria o ideal. Porém, além da indisponibilidade em nosso país, o preço pode assustar um pouco. Sobre a compra desses dispositivos, algumas dicas valiosas podem ser obtidas nesse artigo.

O monstruoso AC3200 da D-Link.

2. Reposicionar o roteador

Mesmo que a dica seja batida e já pareça ser “senso-comum”, há algumas sugestões novas e valiosas que podem resolver o problema de posicionamento do roteador sem fio. Uma delas é o WiFi Solver FDTD, um aplicativo para Android que ajuda as pessoas a encontrarem o melhor lugar para colocar o dispositivo.

O princípio do aplicativo – de todas as dicas sobre reposicionamento do roteador – se baseia na ideia de centralizar o dispositivo. Portanto, o recomendado é deixar o equipamento em uma área que pareça estar equidistante de todas as pontas da casa. Pense nele como se fosse o centro de uma bolha, o que vai facilitar a busca pelo local perfeito.

3. Usar repetidores de sinal

Todos já devem ter visto aqueles aparelhos que são colocados nas tomadas e prometem resolver todos os problemas com as redes WiFi. Na verdade, os repetidores podem ser a solução, mas apenas em casos específicos.

Funcionando apenas como um aumentador do sinal, os repetidores apenas retransmitem o que é captado pelo roteador principal. Apesar de favorecerem a qualidade da rede transmitida, a velocidade nem sempre é satisfatória. É como se o seu notebook estivesse com todas as “barrinhas do WiFi” preenchidas, mas navegando em uma internet bem lenta.

DIR-505 da D-Link.

Configurá-lo, entretanto, geralmente não é uma tarefa difícil. Basta plugá-lo na tomada, conectá-lo através de um cabo de rede (que geralmente acompanha o produto) a um computador, acessar as suas configurações e colocá-lo como um repetidor de sinal. Os dados para acesso do aparelho geralmente estão localizados em sua carcaça.

Outra solução, antiga, mas eficiente, são os adaptadores Powerline, dispositivos que aproveitam a rede elétrica para transmitir dados simultaneamente à energia. Geralmente composto de dois aparelhos, um deles é conectado ao roteador e envia o sinal para os fios da rede elétrica. O outro, plugado em uma tomada distante, envia os dados para os computadores conectados a ele.

TL-WPA281KIT da TP-Link.

4. Seguir as dicas tradicionais

Algumas dicas tradicionais, mas não menos importantes, também devem ser observadas se você quiser levar a rede WiFi para todos os cantos da sua casa. Uma delas é buscar um canal de transmissão que esteja liberado e que favoreça o sinal de sua internet. O Wi-Fi Analyser, para Android, pode ajudar nesse sentido.

Tirar do caminho aparelhos que causam interferência, como fornos de micro-ondas e telefones sem fio, e evitar obstáculos e barreiras físicas também são essenciais para melhorar a qualidade do sinal nos cômodos de sua residencial. E não se esqueça de atualizar o driver do adaptador de rede do seu computador e verificar se não há espertinhos roubando a sua conexão WiFi.

Não se esqueça das dicas tradicionais sobre a rede WiFi.

5. Fazer as gambiarras do Área 42

O Área 42 dispensa apresentações. Assita aos vídeos abaixo e aprenda a aumentar o sinal da rede WiFi usando lata de batatas fritas ou uma garrafa Pet.