Enquanto a NASA está com planos de enviar astronautas ao Planeta Vermelho, parece que os russos têm outro destino em mente: a Lua.

Pelo menos essas são as informações da Tass, a agência de notícias da Rússia. De acordo com os dados liberados até o momento, o projeto não envolve somente o envio de cientistas à Lua com finalidade de pesquisas, porém também tem o intuito de colonizá-la permanentemente.

Na verdade, o projeto já existe há anos e não é nenhum segredo, porém está tomando forma para realmente se concretizar. A ideia é que a base seja instalada no satélite natural até 2030, e os esforços para tanto já começaram. Como os Estados Unidos estão focados em Marte, não existem grandes planos internacionais em relação à Lua no momento (embora possamos testemunhar um novo tipo de corrida espacial nas próximas décadas).

O projeto da base lunar russa propõe várias seções pré-fabricadas que serão acopladas umas às outras, como um centro de telecomunicações, estação de energia solar, módulo científico, centro de pesquisas, área de pouso e lançamento e até mesmo um satélite. Definitivamente, todos os conhecimentos obtidos em conjunto com os Estados Unidos e os países europeus na Estação Espacial Internacional serão utilizados na empreitada.

O início de uma nova era?

Igor Mitrofanov, um dos cientistas envolvidos no projeto, disse à BBC News que os humanos precisam voltar ao Planeta Vermelho, e que é necessário trabalhar em conjunto com os colegas internacionais para que isso seja possível. Inclusive, a Agência Espacial Europeia já disse que irá ajudar os russos com o desenvolvimento de um novo sistema de pouso, que possuirá um tipo de broca capaz de penetrar o solo.

A Bacia do Polo Sul-Aitken em azul.

O destino? A Bacia do Polo Sul-Aitken (que possivelmente detém grandes reservas de água). O descobrimento de quantidades significativas de água na Lua é um dos motivos de tal projeto, já que pode viabilizar (teoricamente) a existência de colônias por lá. É por essa razão que a região do Polo Sul-Aitken será a locação de tal colônia e das pesquisas iniciais, pois já temos indícios suficientes de água nesse território.

Exploração espacial no quintal da Terra

A Agência Espacial Federal Russa (também conhecida como Roscomos) pretende utilizar vários foguetes para levar as estruturas à Lua. A ideia é que eles orbitem a Lua até que estejam prontos para pousar no satélite natural. O Angara-A5V é o modelo de foguete escolhido para o projeto, e os testes com ele já começaram lá em 2014.

Apesar de ser menos poderoso do que o Saturno V, utilizado pelos americanos, o Angara-A5V não é de se subestimar, e seis deles serão utilizados na missão de colonização (cada um levando um módulo diferente da base). Se o cronograma original for mantido, as primeiras sondas devem ser enviadas em 2024 para definir a locação do pouso, e em 2028 a primeira missão tripulada será enviada.

Você acha que os russos vão colonizar a Lua? Comente no Fórum do TecMundo.