O Hawkeye é um celular com histórico invejável. Isso porque ele simplesmente foi criado em um concurso cultural da ZTE, ganhou o primeiro lugar na votação entre os internautas e foi escolhido pela fabricante chinesa para ser produzido de verdade. Para levar o conceito colaborativo adiante, a marca até fez com que a validação do produto fosse feita através do Kickstarter. Com uma carreira tão aberta, os únicos mistérios do smartphone eram as suas especificações. Agora, com a revelação do hardware, a surpresa pode não ser tão boa.

Inicialmente, a galera que criou o conceito do aparelho – que entre outros recursos tinha um sistema de eye-tracking e a capacidade de ser fixado em qualquer superfície plana – imaginou que o brinquedinho tinha componentes de dar inveja por baixo de sua carcaça colorida. O projeto da galera do Team One Technology especulava um celular com tela Quad HD (2560x1440 pixels) de 5,5 polegadas, até 6 GB de RAM, processador Snapdragon 823, câmera traseira de 16 MP com abertura f/1.8 e bateria de 4.000 mAh – entre outras coisas.

O visual do Hawkeye também é menos chamativo do que no projeto

A realidade, no entanto, pode ser um banho de água fria em quem esperava um gadget mais turbinado vindo da companhia chinesa. Atualizando a descrição do equipamento na página de financiamento coletivo, a ZTE resolveu escancarar as especificações do dispositivo dizendo que “um grande celular precisa ser inovador e competitivo” em diversas áreas. A visão deles nesse sentido é um smartphone bem semelhante em seu interior com outro intermediário da própria marca, o Blade V8 Pro.

As configurações ficaram bem abaixo do que se esperava para um item tão disruptivo

Isso significa que o celular opta por um chip octa-core bem mais comum da Qualcomm, o Snapdragon 625, traz um display com resolução Full HD, “apenas” 3 GB de memória RAM e meros 3.000 mAh de bateria. Claro que as configurações não são ruins e casam muito bem com um aparelho voltado para o consumidor que quer um telefone com bom custo-benefício, mas é inegável que elas ficaram bem abaixo do que se esperava para um item tão disruptivo. Confira abaixo a listagem completa de hardware do ZTE Hawkeye.

Especificações técnicas

  • Tela: LCD de 5,5 polegadas
  • Resolução de tela: Full HD (1920x1080 pixels)
  • Sistema operacional: Android 7.0 (Nougat)
  • Processador: Qualcomm Snapdragon 625 octa-core de 2 GHz
  • Memória RAM: 3 GB
  • Armazenamento interno: 32 GB
  • Armazenamento externo: cartões micro SD de até 256 GB
  • Câmera traseira: 13 MP + 12 MP (com zoom ótico)
  • Câmera frontal: 8 MP
  • Conectividade: 4G LTE 150/50M, Bluetooth 4.2, WiFi a/b/g/n/ac, porta USB Tipo-C, NFC
  • Recursos exclusivos: leitor de digitais, áudio Hi-Fi
  • Bateria: 3.000 mAh (com Quick Charge 2.0)

Perdendo o pique

Embora a câmera traseira com lentes duplas e a saída de fábrica com o Nougat sejam interessantes, as especificações mais humildes e uma série de incertezas a respeito do gadget podem estar dificultando a vida da ZTE com a campanha do Hawkeye. Na própria página do projeto, a fabricante afirma que não conseguiu solucionar o funcionamento do sistema que monitora o olhar do usuário, tampouco como o case aderente vai fazer o dispositivo ficar preso a paredes ou espelhos – de preferência sem ficar grudento ou sujo.

Será que veremos esse recurso na versão final do gadget?

O efeito disso tudo é que, mesmo o investimento mínimo para levar um aparelho desses para casa ficando na faixa dos US$ 199 (cerca de R$ 640), a arrecadação não chegou nem perto de seu objetivo. Dos US$ 500 mil (R$ 1,6 milhão) pedidos, a empresa só conseguiu cerca de US$ 31,5 mil (R$ 101 mil) com a empreitada, com 31 dias restantes para a finalização do negócio. E aí, será que o montante aumenta perto do fim do prazo ou o smartphone colaborativo vai acabar sendo engavetado? Deixe o seu comentário mais abaixo.

Cupons de desconto TecMundo: