O que a maioria dos consumidores brasileiros quer quando compra um novo celular é se sentir bem quanto ao preço que pagou frente às funcionalidades e desempenho que recebeu. Existe também um segmento de consumidores que preza mais pelo design e pela excelência em alguns quesitos na hora da compra, e é justamente esse pessoal que a Sony quer impressionar com o Xperia XZ.

Esse aparelho é o novo top de linha da marca japonesa que acabou de chegar às lojas nacionais. A empresa fala muito sobre a qualidade e capacidades avançadas da câmera, além de destacar que a bateria realmente é mais duradoura que a dos concorrentes. Mas será que o Xperia XZ entrega tudo isso mesmo?

Desempenho

O Xperia XZ é um dispositivo top de linha com ótimo desempenho, e, com o Galaxy Note 7 fora da jogada, ele está entre os primeiros nesse quesito dentro do mercado brasileiro. Claro que, se levarmos em conta modelos que ainda não chegaram por aqui — mas já provaram suas capacidades (como o iPhone 7) —, o modelo da Sony fica para trás. Contudo, isso não quer dizer que ele é lento ou algo assim. Muito pelo contrário.

Esse aparelho consegue rodar absolutamente tudo o que você quiser, incluindo os títulos mais pesados da Google Play sem nenhum problema ao executar os gráficos. Não era de se esperar menos de um dispositivo com Snapdragon 820 e 3 GB de RAM, não é mesmo?

Nos benchmarks, o Xperia XZ se sai inclusive melhor que modelos concorrentes, como o Galaxy S7 e o Moto Z. Uma possível explicação para isso pode ser o fato de a tela do modelo da Sony ser de menor resolução, o que dá mais folga para o hardware (similar nos três) dar conta tarefas gráficas, já que não tem tantos pixels para “empurrar”.

Em nossos testes, jogamos games como Need For Speed: Most Wanted, Monolithic e Pokémon GO. Não encontramos problemas de execução em nenhum deles. Portanto, se você está atrás de um smartphone parrudo de verdade, o XZ não deve ser uma decepção. Confira agora os números de benchmarks.

Benchmarks

Para a realização desta análise, submetemos o Xperia XZ a três aplicativos de benchmark. São eles: 3D Mark (Ice Storm Unlimited), AnTuTu Benchmark 6 e Vellamo Mobile Benchmark (HTML 5 e Metal).

O teste Ice Storm Unlimited, do 3D Mark, é utilizado para fazer comparações diretas entre processadores e GPUs. Fatores como resolução do display podem afetar o resultado final. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

Um dos aplicativos de benchmark mais conceituados em sua categoria, o AnTuTu Benchmark 6 faz testes de interface, CPU, GPU e memória RAM. Os resultados são somados e geram uma pontuação final. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

O Vellamo Mobile Benchmark aplica dois testes ao aparelho: HTML5 e Metal. No primeiro deles é avaliado o desempenho do celular no acesso direto à internet via browser. Já no teste Metal, o número final indica a performance do processador. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

Design

A Sony tem se mantido fiel ao seu design tradicional há muito tempo, mas já está na hora de dar uma remodelada. O XZ não é exatamente uma repaginada completa no design da japonesa, mas ele evoluiu sim em alguns aspectos. A traseira, por exemplo, não mais de vidro, o botão power não é mais proeminente (o que já vem de modelos anteriores), e a moldura do aparelho não é mais de metal e sim de plástico.

Não consideramos esse último item algo ruim. Mesmo sendo plástico, estamos falando de um material de alta qualidade e que, diferente do metal, não requere aqueles cortes feios por toda parte para as antenas.

Vale destacar que o corpo do XZ é resistente a respingos de água

A parte traseira é bem sóbria, com uma chapa metálica cobrindo quase toda a superfície, exceto pelos cortes da câmera e dos sensores. Há ainda uma divisão na parte de baixo, onde temos uma plaquinha de plástico, provavelmente para melhorar a recepção de sinal. Ademais, não há nada muito diferente do que já vimos em outros modelos da empresa, inclusive na parte frontal, que tem bordas superior e inferior muito grandes para alto-falantes tão pequenos.

Vale destacar ainda que o corpo do XZ é resistente a respingos de água. Isso significa que você poderá pegar uma chuva com ele no bolso sem maiores problemas e até mesmo lavar seu dispositivo caso seja necessário, embora a Sony alerte que não é recomendável submergi-lo sob a água. Isso é considerado uso inapropriado, e a garantia não cobre danos dessa natureza.

Tela

O display do Xperia XZ é de excelente qualidade, apesar de não ter resolução 2K, como na maioria dos seus concorrentes. A tela é Full HD, o que é mais do que adequado para essas 5,2 polegadas. Com isso, a densidade de pixels ultrapassa a casa dos 400 ppi e oferece ótima qualidade na reprodução das imagens.

O nível máximo de brilho da tela desse dispositivo é incrivelmente alto

Isso é verdade especialmente em ambientes abertos, uma vez que o nível máximo de brilho desse dispositivo é incrivelmente alto. Outros aparelhos da Sony que já passaram pelas nossas mãos também compartilham dessa característica.

Ademais, a reprodução das cores é normalmente muito boa e fiel na medida do possível para um display LCD. Só há espaço para melhorar se a Sony resolver adotar a tecnologia AMOLED de uma vez por todas.

Software

A pegada da japonesa é uma das melhores disponíveis no mercado depois do Android puro

A Sony embarcou o Android 6.0.1 nesse dispositivo e colocou por cima a sua interface personalizada. Nós não cansamos de dizer isso, mas a pegada da japonesa nesse quesito é uma das melhores disponíveis no mercado depois do Android puro. O design é sempre muito coerente, colorido na medida certa, e nada que a empresa faz nesse ponto atrapalha o desempenho do dispositivo.

Vale destacar que a fabricante mostra alguns truques legais no seu software. No app de câmera, você tem um atalho prático para alternar entre o sensor frontal e o traseiro (arrastando de cima para baixo na tela). Para acessar o buscador de apps, você faz a mesma coisa, mas na tela inicial. A seção de configurações também é consideravelmente mais bonita e organizada do que aquilo que vemos em qualquer aparelho Samsung ou LG.

 

A única pisada de bola que a Sony deu nesse departamento foram os jogos desnecessários pré-instalados de fábrica. São mais de cinco títulos ocupando espaço sem necessidade dos quais você talvez não goste. Naturalmente, dá para excluir todos eles, mas ainda assim trata-se de uma prática condenável.

Câmeras

A Sony trabalhou muito nas câmeras do Xperia XZ e é possível ver que ele realmente consegue fazer ótimas fotos. A profundidade de campo é particularmente impressionante para um smartphone, e a capacidade do celular de seguir objetos em movimento com seu foco é outro ponto positivo.

Contudo, é necessário ter um pouco de paciência com esse recurso e ao focar no geral. Se você só fizer a captura e pronto, o foco não vai ficar ruim, mas também não ficará perfeito. E olha que a câmera traseira do XZ tem capacidade de fazer um foco tão nítido que é de encher os olhos. Mas isso requer tocar na tela para ajustar as coisas e esperar um pouquinho.

Em nossos testes, notamos que o dispositivo é ótimo para tirar fotos de grupos, pois as lentes garantem uma boa amplitude. Mas isso tem um efeito negativo na câmera frontal, já que ela deforma as pessoas que ficam mais nas bordas e principalmente na parte de baixo. Os resultados chegam a ser bizarros. Fora isso, o sensor frontal tem um ótimo contraste de cor, consegue balancear bem a luz e gera fotos boas quando não há nenhuma distorção.

Deformação da câmera frontal

A qualidade da captura de vídeo é o que mais chama atenção nesse aparelho. Ele pode fazer imagens em altíssima resolução (até 4K) com uma excelente reprodução de cores e estabilização top de linha. Nós gravamos esse vídeo durante uma caminhada sem preocupações em manter a mão firme, e o resultado foi muito bom.

O software da câmera ainda tem um modo manual para ser explorado por pessoas que entendem mais de fotografia, e dá para fazer imagens realmente de tirar o fôlego com esse recurso. Contudo, em nossas análises, só utilizamos o modo automático para melhor comparar as câmeras de vários celulares. Usuários comuns também normalmente só usam o modo automático no dia a dia.

A qualidade das câmeras é o ponto alto desse dispositivo

No fim das contas, a qualidade das câmeras é o ponto alto desse dispositivo. A Sony embarcou um sensor infravermelho para ajudar na reprodução das cores e CMOS grandes para capturar mais luz. As fotos ficam realmente muito boas em praticamente qualquer situação (câmera traseira).

O problema — que não é realmente um problema — é o fato de que os consumidores se impressionam mais com fotos bem saturadas, além do que é natural. A Samsung e a Apple já entenderam isso há muito tempo e têm ajustado suas câmeras nesse sentido. A Sony prefere apostar na fidelidade às cores reais, o que deve agradar bastante a entusiastas de fotografia.

Bateria

Este é outro ponto forte do XZ. A Sony fala que ele consegue durar até dois dias longe das tomadas, mas nós conseguimos espremer no máximo um dia e meio de carga fazendo uso básico: navegando ocasionalmente na web, usando apps de mensagens e de redes sociais, além de algumas fotografias aqui e ali. Dependendo do caso, talvez dê para chegar ao fim do segundo dia com o modo Stamina ligado, mas isso usando muito pouco o aparelho.

Falando em modo Stamina, já comentamos em análises anteriores que ele é realmente eficaz ao economizar bateria. O mesmo acontece com o XZ, que consegue durar muitas horas com apenas 15% de carga restante.

No geral, esse dispositivo tem uma ótima autonomia de bateria, especialmente considerando o seu design compacto. São apenas 2.900 mAh que duram tanto quando 3.500 ou mais em outros aparelhos. Em um dia com alguns momentos de jogatina ou muitas fotos e vídeo, o XZ ainda consegue durar até o fim da noite sem ser recarregado.

Em um teste mais metódico, constatamos, entretanto, que essa autonomia não se reflete para uso superintenso. Conseguimos gastar toda a bateria do XZ executando um vídeo no YouTube de forma contínua com brilho no máximo e WiFi ligado em apenas 4 horas e 10 minutos. Isso é uma média bem fraca para a categoria, que normalmente passa das cinco horas.

Extras

Como extra, esse smartphone tem um leitor de digitais na lateral direita que funciona com precisão e velocidade realmente dignas de um top de linha. Você aperta para ligar a tela, e, antes de tirar o dedo, ele já leu sua digital e fez o desbloqueio. O mais interessante, entretanto, é o posicionamento lateral, que o torna muito conveniente.

Se o dispositivo está em uma superfície plana, tanto de costas quanto de frente, você não tem que tirá-lo do lugar para desbloqueá-lo usando os dedos. Smartphones que possuem o leitor na frente ou atrás normalmente sofrem com problemas desse tipo.

O modelo da Sony realmente está acima da média

Outro item de destaque é o som estéreo com alto-falantes frontais. Nenhum aparelho com som mono comum consegue bater XZ em qualidade de som, mas ele não compete com outros que também possuem dessa vantagem. Dispositivos como o Nexus 6P deixam o Xperia XZ passando vergonha nesse departamento, mas o modelo da Sony realmente está acima da média.

Existe ainda a possibilidade de expandir a memória interna com um cartão micro SD de até 256 GB. Esse celular só tem espaço para um chip SIM (tamanho nano) e conta com uma conexão USB-C na parte de baixo, para oferecer maior velocidade na transferência de dados e de carregamento. Contudo, o carregamento do aparelho não é tão rápido quanto o de outros modelos top de linha que possuem a mesma funcionalidade.

Vale a pena?

O Sony Xperia XZ é um smartphone muito sólido: tem uma ótima câmera, boa duração de bateria, software bem feito e um belo design. O desempenho também é muito bom, e tudo isso faz com que ele possa bater de frente com seus principais concorrentes e até deixá-los para trás em alguns aspectos.

Ótima câmera, boa duração de bateria, software bem feito e belo design

Esse dispositivo tem câmeras melhores que as do Moto Z, por exemplo, e autonomia de bateria maior que a do Galaxy S7. Ele ainda oferece alguns recursos exclusivos que podem chamar atenção de quem curte brincar com fotografia e também passa uma sensação muito boa na pegada, mesmo tendo bordas de plástico.

Mas o maior ponto fraco é certamente o preço. A Sony está cobrando R$ 4 mil por esse smartphone no lançamento. Isso é muito mais caro que o Galaxy S7 atualmente e também do que os pacotes do Moto Z com módulos. Como a Sony não tem como competir com a Applena questão “status” para vender um dispositivo por esse valor, não dá para entender como a marca japonesa quer ter sucesso no mercado brasileiro com essa postura.

Nós gostaríamos muito de dizer que o XZ é uma boa opção no segmento dos tops de linha porque ele é realmente um ótimo smartphone e oferece tudo o que você pode esperar dessa categoria. Mas o preço está totalmente descolado da realidade e não temos como recomendá-lo para ninguém nessa condição.

 ***

Perguntas dos leitores

Ele é bom de bateria?

Sim! A bateria dura bastante. Cerca de um dia e meio com uso misto, e não dois dias como a Sony anuncia.

Diferenciais do Xperia XZ?

Ele não tem nenhum grande diferencial além da qualidade excepcional das câmeras. Não há nada tão inovador aqui quanto a modularidade do Moto Z, por exemplo.

Existem versões de 32 e 64 GB de armazenamento?

A Sony só está vendendo a versão com 32 GB de armazenamento nativo no Brasil. Contudo, é possível inserir um cartão micro SD de até 256 GB.

Ele não tem mesmo fone de ouvido?

Não. Esse acessório realmente não vem na caixa do Xperia XZ, o que é um contrassenso considerando que ele custa quatro mil reais.

Ele esquenta muito em tarefas pesadas? E carregando?

Esquenta sim, mas não a ponto de queimar sua mão ou explodir, como o Galaxy Note 7. Durante o carregamento, não notamos nenhum problema do tipo.

Ele demora muito para carregar por completo?

O XZ tem um sistema de carregamento rápido e conta com conexão USB-C. Ele não demora para carregar, mas não é o mais rápido nesse departamento também. Outros aparelhos da categoria já mostraram melhor desempenho nesse ponto em nossos testes.

O que é esse 'risco' que ele tem na parte inferior traseira?

Não é um risco, é uma divisão de materiais. Na parte de cima, temos uma superfície metálica e, na de baixo, uma parte de plástico para facilitar a recepção de sinal.

O leitor de digitais apresenta falhas em uso cotidiano? Quantas digitais podem ser colocadas?

O leitor de digitais é muito preciso e muito rápido. Não enfrentamos nenhum problema com ele durante a semana de testes. É possível cadastrar até cinco dedos diferentes.

As bordas da tela são realmente curvas? O que isso traz de ganho?

Não. Apenas as bordas do vidro são curvas. A tela em si é completamente reta. O único ganho nesse aspecto, além da beleza, é em conforto, pois é mais agradável fazer gestos na tela a partir das bordas com essa curvinha.

Quais as diferenças entre o Xperia X Performance e o Xperia XZ?

O Performance tem um design metálico mais arredondado e mais moderno, similar ao do Xperia E5 que testamos recentemente. O processador e a RAM são os mesmos, mas a câmera do Performance deve ser melhor por conta de alguns recursos de lentes e ISO, apesar de ter a mesma resolução. O XZ também é um pouco maior (com tela 0,2’’ a mais), mas não há diferenças muito além disso.

Cupons de desconto TecMundo: