Inicialmente, algumas pessoas torceram o nariz para o apelido, mas bastou conferir alguns dos feitos da Xiaomi nos últimos tempos para entenderem porque a empresa é chamada de “a Apple chinesa”. Além de abocanhar belas vendas em todo o mundo desde o início do ano e emplacar três ofertas disputadíssimas de seu Redmi 2 no Brasil, a companhia também anda apostando na inovação nos negócios. Nesta quinta-feira (23), por exemplo, foi anunciado uma parceria com o Uber para a entrega de dispositivos da fabricante em alguns países asiáticos.

A estratégia inédita foi divulgada pelo vice-presidente internacional da Xiaomi, Hugo Barra, em seu perfil no Facebook. Na rede social, o mineiro explicou que, a partir do dia 27 de julho, consumidores de Singapura e da Malásia vão poder utilizar o aplicativo do serviço de motorista particular para pedir sua unidade do Mi Note, exatamente do mesmo modo como se estivessem chamando um carro para transporte. Ele diz ainda que esse tipo de colaboração é a primeira do tipo, envolvendo ”duas das mais inovadoras startups de tecnologia do mundo”.

Xiaomi x UBER: Today we're announcing a unique partnership with Uber for on-demand delivery of the new Mi Note we just...

Posted by Hugo Barra on Quinta, 23 de julho de 2015

“Você simplesmente abre o app do Uber, usa a barra deslizante para selecionar ‘Xiaomi’ (fazendo com que sejam mostrados no mapa os carros laranja da Xiaomi preparados para entregar o smartphone) e toca em ‘Solicitar Aqui’”, publicou Hugo, explicando ainda que o pagamento pelo aparelho é debitado diretamente do cartão de crédito atrelado à sua conta do Uber. O melhor de tudo? A entrega do seu Mi Note novinho em folha é feita em questão de minutos, poupando dores de cabeça – e ansiedade – com serviços de entrega ou correios.

Para a companhia que faz a ponte entre os usuários e motoristas autônomos, a opção de realizar entregas de todo tipo de produtos através de sua extensa rede tem se revelado bastante interessante, sendo testada em alguns países pelo mundo. “O poder da economia sob demanda está transformando a experiência do consumidor”, analisa Mike Brown, gerente geral do Uber, afirmando também que a empresa está feliz em poder participar de um projeto como esse feito ao lado da Xiaomi na Ásia.

Infelizmente, o desacordo da Justiça e do governo do Brasil a respeito da legalidade do serviço que concorre com os táxis – com decisões que hora validam, hora proíbem a prática de carona paga –, acaba dando poucas chances para que os usuários brasileiros possam experimentar algo do tipo. Por enquanto, só resta imaginar como seria receber o badalado Redmi 2 em casa de forma rápida e descomplicada.

É mole? Consumidores asiáticos já podem receber seu smartphone da Xiaomi via Uber! Discuta o assunto no Fórum do TecMundo!

Cupons de desconto TecMundo: