O CEO da Xiaomi, Lei Jun, anunciou hoje através da sua conta no “Twitter chinês”, o Weibo, que sua companhia vendeu mais de 34,7 milhões de smartphones no primeiro semestre de 2015. Isso representa um crescimento de 33% em relação ao mesmo período do ano passado. Contudo, a marca pode não ser o que a empresa estava esperando para esses últimos seis meses.

A expectativa da Xiaomi é vender de 80 a 100 milhões de dispositivos até o último dia de dezembro. Portanto, ter vendido pelo menos 40 ou 50 milhões até agora seria o ideal para a companhia atingir sua meta. Ainda assim, essa condição não desmerece os resultados alcançados até o fim de junho.

Contra a maré

O mercado de smartphones chinês está perdendo fôlego, assim como o brasileiro. Por lá, o crescimento está diminuindo progressivamente, e, mesmo assim, a Xiaomi conseguiu melhorar seus resultados em 33%.

O que pode ajudar a marca a alcançar seu objetivo até o fim do ano é o provável lançamento do seu novo top de linha, o Mi 5. De acordo com rumores, ele chega ao mercado até o fim de novembro com um processador Snapdragon 820, 4 GB de RAM e tela 5,3’’ com resolução 2K. Seu conjunto de câmeras também será bem interessante, com 16 e 6 MP atrás e na frente, respectivamente. Espera-se que a bateria tenha 3.030 mAh. Nada disso, entretanto, é oficial até o momento.

Há também a possibilidade de a Xiaomi se dar muito bem no Brasil e, com isso, impulsionar suas vendas em escala global. Entretanto, isso não é muito provável, já que ela deve demorar pelo menos um ou dois anos para ganhar tração por aqui, sendo que acabou de desembarcar e aposta no "marketing boca a boca".

Cupons de desconto TecMundo: