Aos poucos, o Windows Phone começa a se tornar uma realidade no exterior. No Brasil, ainda são raros os modelos disponíveis com o SO mobile da Microsoft, mas em países como os Estados Unidos, os primeiros smartphones que exibem a interface Metro deixaram uma boa impressão no público.

Durante a CES 2012, realizada em Las Vegas no início deste mês, a equipe do Tecmundo conferiu de perto o visual do Windows Phone, mais especificamente nos aparelhos Nokia Lumia 800 e 900, e gostou do que viu. Com uma interface animada, intuitiva e elegante, o Windows Phone causou um impacto positivo.

Há razões para acreditar que o Windows Phone é um concorrente de peso para o Android e iOS? Ao que tudo indica, sim. É bem verdade que pode demorar um pouco para que a fatia de mercado da Microsoft seja significativa, mas motivos não faltam para que, muito em breve, um aparelho com o SO mobile da empresa de Bill Gates esteja na sua lista de desejos de consumo.

Interface atraente

(Fonte da imagem: Nokia)

Um dos primeiros aspectos que chamam a atenção de quem manuseia  o Windows Phone é o visual do sistema operacional. Graças à interface Metro, que será aplicada no Windows 8, aplicativos e telas iniciais ganham um estilo bastante intuitivo, animado e colorido.

A transição entre menus é suave e elegante, graças às janelas de exibição que permitem a visualização de mais de um item ao mesmo tempo. Em termos de recursos, ele ainda deixa a desejar em relação ao iOS e o Android, mas o prenúncio de um sistema eficiente e que pode ser capaz de competir de igual para igual com os demais é um alento para os fãs da Microsoft.

Integração com o Windows 8

Sem uma base de clientes muito forte em smartphones, a maior aposta da Microsoft é sem dúvida a integração do SO com o novo Windows 8. Líder absoluta no mercado de sistemas operacionais, a companhia aposta que os consumidores darão prioridade na escolha de um aparelho que seja capaz de fazer tudo o que o computador que elas possuem em casa faz.

Assim, a empresa espera criar um diferencial atrativo, tanto para os novos compradores de smartphones quanto para aqueles que planejam adquirir o seu primeiro tablet. Para os gamers, o chamariz maior será a possibilidade de acessar a LIVE a partir de qualquer dispositivo portátil.

Nem fechado demais, nem muito aberto

(Fonte da imagem: Baixaki / Tecmundo)

Se o sistema operacional da Apple peca por ser completamente fechado, tornando difícil até mesmo a vida de desenvolvedores de apps, o Android, por outro lado, peca pelo fato de ser aberto demais, fazendo com que não exista uma padronização e tenhamos um verdadeiro Frankstein em se tratando de apps de desenvolvedores menos conhecidos.

Por incrível que pareça, a Microsoft pode se beneficiar ao adotar uma estratégia mais equilibrada, de modo similar ao que acontece com o Windows. Nem tão fechado a ponto de ser impossível para pessoas de fora “rootear” o aparelho e nem tão aberto a ponto de não haver padronização entre os aplicativos.

Parceria com a Nokia

Não basta ter um sistema operacional eficiente, é preciso ter um hardware compatível e potente. Para garantir que os consumidores não vão se decepcionar com o aparelho, a Microsoft foi buscar na finlandesa Nokia a certeza de que a parte física do smartphone será uma das melhores possíveis.

Além da exclusividade no uso dos smartphones da marca, a empresa pretende expandir as licenças para outras companhias que desejem adotar o SO mobile, mas tudo dependerá do sucesso dos primeiros modelos.

Variedade de aplicativos