A empreitada que teve início com a compra da Palm pela HP está prestes a acabar, segundo informações de uma postagem da página da empresa para perguntas frequentes dos desenvolvedores em que a companhia anunciava o fim dos serviços de nuvem do webOS. Os fãs da plataforma que ainda não tiverem partido para pastos mais verdes deverão fazê-lo em breve, ainda que a morte definitiva da plataforma dependa do que seu novo curador planejar.

Passando por três companhias diferentes (Palm, HP e, mais recentemente, a LG), o webOS certamente nunca vai sumir completamente, já que partes do sistema tiveram seus códigos abertos pela gigante das impressoras. Ainda assim, a empresa decidiu não manter os serviços ligados à plataforma funcionando por tempo indefinido – chega a ser impressionante ela tê-los mantido até agora, uma vez que nenhuma atualização da plataforma foi lançada desde 2012.

Basicamente, a notícia significa que embora os aparelhos que funcionam com base no webOS ainda continuem funcionando, não será mais possível instalar aplicativos neles e os apps presentes seguirão o destino da plataforma, deixando de receber atualizações. Após o encerramento no dia 15 de janeiro de 2015, os donos de dispositivos com o sistema também não poderão mais ativar aparelhos, fazer backups, restaurá-los ou fazer transferências.

Preparem-se: o inverno está vindo

Até a chegada da data fatídica, os usuários ainda poderão realizar esse tipo de ações e fazer as preparações necessárias – incluindo uma provável migração para um smartphone com outro sistema operacional. Um dos pontos mais preocupantes é que, após o encerramento dos serviços do webOS, não será mais possível recuperar senhas perdidas, de forma que é necessário salvar suas palavras-chave em outro lugar desde já.

Mesmo com todo o peso da decisão da HP, os mais esperançosos podem enxergar a mudança não como o fim do webOS em definitivo, mas como a abertura de novas possibilidades para a plataforma. Com a morte do sistema como foi criado pela Palm e desenvolvido pela gigante das impressoras, cabe à LG decidir o que vai fazer com o sistema de agora em diante.

No momento, o webOS continua vivo dentro das smartTVs da fabricante coreana, mas vazamentos recentes apontaram para a possibilidade da empresa levá-lo também para seus smartwatchs. Dessa forma, a plataforma pode ainda ter um futuro, ainda que ele não pareça tão promissor ou aberto quanto poderia ter sido.

E você, qual acha que será o destino do webOS após o anúncio da HP? Deixe sua opinião nos comentários.

Cupons de desconto TecMundo: