Uma guerra gigante e confusa [vídeo]

Gameplay BJ

A série Resident Evil está em constante mutação, apesar das reclamações dos fãs mais xiitas. A primeira grande mudança veio em 2005, quando os controles foram completamente transformados e a franquia assumiu ares de game de ação com o lançamento do quarto título. Agora, com Resident Evil 6, a Capcom está disposta a mudar as coisas mais uma vez.

No maior game da franquia – em escopo e número de membros envolvidos na produção –, a empresa reúne personagens consagrados, como Leon, Chris e Ada, em um único título. Mais do que isso, conta uma história que se passa ao longo de meses e em diversas partes do globo comandada por controles completamente inéditos para a franquia.

Videoanálise

Resident Evil 6 é um dos maiores lançamentos do ano, sem dúvida alguma. Mas será que ele tem o que precisa para ser um candidato a melhor título de 2012?

Resident Evil 6 pode frustrar as expectativas dos fãs. Se você caiu no hype e acreditou piamente em todas as promessas de revolução feitas pela Capcom, é bem possível que o título fique abaixo das suas expectativas. Mas não estamos dizendo que o jogo é ruim. Pelo contrário, ele é muito bom. Mas não chega a ser ótimo, como deveria.

Em meio a tantas mudanças, inovações e ideias inéditas, o time de desenvolvimento da empresa falhou em questões básicas, que afetam diretamente a jogabilidade e a sensação de controle que o jogador tem perante o mundo do jogo. Resident Evil 6 é um grande game, com problemas de dimensão semelhante.