Microsoft ainda vai comprar Activision Blizzard? Veja opinião de analistas

3 min de leitura
Imagem de: Microsoft ainda vai comprar Activision Blizzard? Veja opinião de analistas
Imagem: Getty Images

Ontem (26), o Competition and Markets Authority (CMA) bloqueou a aquisição da Activision Blizzard King (ABK) pela Microsoft. Avaliada em US$ 69 bilhões, a transação multibilionária foi considerada perigosa para a indústria de games pelo órgão antitruste do Reino Unido. Em seu relatório, o CMA apontou a possibilidade de que a adição dos títulos da ABK ao Game Pass poderia ocasionar aumento no preço do serviço.

Outra preocupação do órgão é em relação ao possível impacto no desenvolvimento do mercado de jogos em nuvem, hoje liderado pela empresa do Xbox. Estes seriam dois pontos importantíssimos que levaram à decisão do bloqueio da aquisição. Porém, segundo analistas, a situação ainda tem chances de ser revertida.

Microsoft pode reverter decisão do CMA, dizem analistas

Em nota enviada ao Video Games Chronicle, o analista de mercado Michael Pachter afirmou que "o CMA está do lado errado da lei nesta decisão." Além disso, ele ainda disse acreditar que a Microsoft pode sair vitoriosa em sua apelação. Para o analista, mesmo em caso de nova perda, a casa do Xbox poderia oferecer novas concessões para finalizar a compra da Activision Blizzard. Para ele, um bom exemplo seria a promessa de manter o preço atual da assinatura do Game Pass mesmo após a transação.

Activision Blizzard ainda pode ser adquirida pela Microsoft, sugerem analistasActivision Blizzard ainda pode ser adquirida pela Microsoft, sugerem analistasFonte:  Getty Images 

O analista Piers Harding-Rolls também disse ao VGC que ainda há chances de o acordo ser finalizado até o final deste ano. Harding-Rolls, que é diretor de pesquisa de video games na Ampere Analysis, afirmou que o pedido da Microsoft enviado ao tribunal pode ser aceito. Neste caso, o CMA faria uma nova análise até o final de 2023, podendo então finalmente aceitar os novos termos da empresa.

Jogos da Activision Blizzard fora do Game Pass?

Mesmo se apelação não for aceita, Pachter acredita que a Microsoft ainda tem chances de receber aprovação do CMA. Porém, para isso acontecer, poderia ser necessário manter os jogos da Activision Blizzard fora do Xbox Game Pass — pelo menos no catálogo disponível no Reino Unido.

Manter jogos da Activision Blizzard fora do catálogo do Game Pass pode ajudar CMA a aceitar a aquisiçãoManter jogos da Activision Blizzard fora do catálogo do Game Pass pode ajudar CMA a aceitar a aquisiçãoFonte:  Xbox/Reprodução 

Para o analista, uma solução simples seria separar o Game Pass do Reino Unido, mantendo um catálogo diferente do disponibilizado no resto do mundo. Segundo Pachter, a solução facilitaria o monitoramento das atividades pelo CMA ou quaisquer outras entidades terceirizadas para fazer a fiscalização. Outra opção seria gerenciar o Game Pass na região como um negócio à parte, separado da operação em nível global.

Novela está longe de acabar

Quem também acredita que a decisão do CMA não é final é Bobby Kotick, CEO da Activision Blizzard King. Em um comunicado publicado no site da empresa, o infame chefão da ABK disse que a decisão do órgão antitruste "está longe de ser a palavra final nesta negociação."

Bobby Kotick, CEO da ABK, ainda acredita que transação pode ser concretizadaBobby Kotick, CEO da ABK, ainda acredita que transação pode ser concretizadaFonte:  Getty Images 

"Estamos confiantes em nosso caso porque os fatos estão do nosso lado: esta negociação é boa para a competição," afirmou o CEO. Segundo Kotick, a aprovação da transação seria "benéfica para funcionários, a força de trabalho no Reino Unido e jogadores em todo o mundo."

Kotick disse ainda que a combinação da Microsoft com a ABK ajudaria no fortalecimento do setor de tecnologia no Reino Unido. Para o CEO, por outro lado, aceitar a decisão do CMA "sufocaria o investimento, a competição e a criação de empregos na indústria de games" da região.

Bloqueada no Reino Unido, a aquisição já foi aprovada em países como Arábia Saudita, Brasil, Chile, Sérvia, Japão e África do Sul. A decisão da União Europeia sobre o caso deve ser divulgada no final de maio. Já nos EUA, o processo do órgão FTC contra a transação deve chegar a um resultado em agosto deste ano.

Você sabia que o TecMundo está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.