Nintendo diz que relatos sobre Activision são 'perturbadores'

1 min de leitura
Imagem de: Nintendo diz que relatos sobre Activision são 'perturbadores'
Imagem: Nintendo
Avatar do autor

Ainda sob os holofotes por causa de inúmeras acusações  de assédio, misoginia e conduta inapropriada no ambiente de trabalho, a Activision Blizzard acaba de tomar mais uma pancada.

Além de funcionários preparando greves, acionistas pedindo a remoção do atual CEO e tanto PlayStation quanto Xbox posicionando-se contra a conduta da empresa, agora chegou a vez da Nintendo juntar-se ao grupo dos que repudiam as alegadas ações da publicadora, seu conselho administrativo e seu líder, Bobby Kotick.

A informação é do Fanbyte, que teve acesso a um e-mail enviado a todos os funcionários da Nintendo of America. Assinado pelo presidente da empresa, Doug Bowser, a mensagem foi enviada na semana passada e faz referência às acusações contra a empresa de Kotick.

No texto, Bowser afirma que, assim como os demais funcionários, vem acompanhando "o desenrolar [da situação da] Activision Blizzard e os contínuos relatos de assédio sexual e toxicidade na companhia". O presidente da Big N diz achar esses relatos angustiantes e perturbadores e que as acusações "vão contra meus valores e contra as crenças, valores e políticas da Nintendo".

Na mensagem, Bowser afirma que sua equipe esteve em contato com a Activision e, sem entrar em detalhes, afirmou ter tomado ações e estar avaliando outras medidas. Quando contatada pelo site, a Big N confirmou que as informações divulgadas pelo site são verídicas, mas que não vai fazer comentários adicionais a respeito da situação.

Entenda o caso

Na semana passada, uma reportagem detalhou diversas situações extremamente inapropriadas nas quais Bobby Kotick teria envolvimento, incluindo vários casos de assédio sexual e até mesmo uma ameaça de morte.

Em resposta, a Activision tentou descreditar o texto, afirmando que diversos casos eram muito antigos, de mais de uma década atrás. A empresa também afirmou que hoje o CEO adota política de tolerância zero, mas funcionários questionam até onde vai a nova regra e a quem ela realmente se aplica.

Por fim, ontem (22), uma publicação do Wall Street Journal afirmou que Kotick tem "conversado" sobre a possibilidade deixar deixar o cargo de gerente executivo da Activision Blizzard.

Fontes