Phil Spencer diz que Xbox está avaliando relação com a Blizzard

1 min de leitura
Imagem de: Phil Spencer diz que Xbox está avaliando relação com a Blizzard
Imagem: Barone Firenze/Shutterstock
Avatar do autor

A relação da Activision Blizzard com o mercado parece estar se deteriorando cada vez mais. Nesta quinta-feira (18), uma reportagem da Bloomberg revelou que Phil Spencer, chefe da divisão Xbox, disse em um e-mail interno que está "avaliando todos os aspectos de nosso relacionamento com a Activision Blizzard e fazendo ajustes proativos contínuos".

No comunicado que foi divulgado para a equipe interna da Microsoft, Spencer explicou que os funcionários estavam "extremamente perturbados pelos eventos e ações horríveis" que estão acontecendo na Blizzard.

A mensagem surgiu um dia após uma reportagem do Wall Street Journal revelar que o CEO da desenvolvedora, Bobby Kotick, sabia do ambiente tóxico, incluindo as situações de assédio sexual com as quais mulheres da empresa estavam tendo de conviver há um bom tempo (há relatos de 2007).

Activision Blizzard

A fala de Spencer é importante e se junta ao posicionamento de outro grande executivo da indústria. Jim Ryan, presidente da divisão PlayStation, já havia dito que se sentiu desapontado e surpreso com o que estava acontecendo na Blizzard.

Em e-mails obtidos pelo jornalista Jason Schreier, da Bloomberg, Ryan revelou para funcionários da Sony que havia entrado em contato com a desenvolvedora para tratar da insatisfação com os casos e cobrar respostas e ações imediatas.

Sobre as críticas de Xbox e PlayStation, um porta-voz da empresa disse à Bloomberg que a companhia "respeita todos os comentários de nossos valiosos parceiros" e que "estamos comprometidos com o trabalho de garantir que nossa cultura e local de trabalho sejam seguros, diversificados e inclusivos".

O escândalo

A Activision Blizzard se viu no meio desse grande escândalo depois que funcionários e ex-funcionários, principalmente mulheres, decidiram tornar pública a "vista grossa" que a companhia faz em relação a casos de assédio, sexismo e machismo.

Em uma das ocorrências mais graves, uma mulher cometeu suicídio, e o ambiente tóxico da empresa chegou a ser apontado como uma das possibilidades para o ocorrido.

O caso já entrou na mira de várias entidades norte-americanas, incluindo o Departamento de Justiça do Trabalho e Moradia da Califórnia (que processou a empresa) e a Securities and Exchange Commission (que abriu uma investigação).

Além da troca na presidência, a Blizzard realizou diversas demissões de funcionários, incluindo Luis Barriga, diretor de Diablo 4.