PS Vita: cartão de memória proprietário pode ter afundado portátil

1 min de leitura
Imagem de: PS Vita: cartão de memória proprietário pode ter afundado portátil
Imagem: https://www.sony.com.br/

Durante um AMA (pergunte-me qualquer coisa) realizado nesta última quinta-feira (8) no Reddit, um ex-funcionário não identificado da Sony deu mais detalhes sobre o encerramento do suporte aos consoles portáteis, e afirmou que a iniciativa de combate a hackers pode ter sido um dos motivos que travou a venda do PS Vita e causou seu desligamento precoce.

O hack de 2011 na PSN surgiu para alterar completamente os projetos da Sony, trazendo impactos severos em sua cultura e nas estratégias. Para combater as invasões, a empresa optou por fabricar um novo cartão de memória proprietário que infelizmente não foi bem recebido pelo público, visto que um dispositivo de 32 GB chegou a ser vendido por US$ 120 no lançamento. Dessa forma, mesmo com um bom catálogo de jogos e com tecnologias impressionantes na época, o PS Vita começou a apresentar sinais de insustentabilidade.

(Fonte: Sony / Reprodução)(Fonte: Sony / Reprodução)Fonte:  Sony 

“A Sony vê o Vita como um fracasso. O portátil perdeu praticamente todas as metas de vendas que eles tinham e, para um negócio com fins lucrativos, é o pior que pode acontecer. Eles se contentaram com isso como um pequeno fluxo de renda passiva, mas quando o firmware foi quebrado, eles estavam pregando o caixão", disse o ex-funcionário. "Teve alguns defensores internos fortes, especialmente do lado do Japão, mas isso serviu apenas como um ‘avisei’ nas guerras culturais que a Sony vem travando não tão silenciosamente na última década”.

Curiosamente, o ataque de 2011 ocorreu poucos meses antes do lançamento do PS Vita, então tudo indica que a decisão por produzir um SD proprietário para o portátil já havia sido tomada antes mesmo dos primeiros relatos de destravamento.

“Os sistemas de pagamento exigem muita manutenção técnica e os sistemas obsoletos fornecem vetores de ataque fáceis para informações confidenciais”, acrescentou. “E há muito trabalho envolvido para garantir que todos recebam seu dinheiro quando as vendas forem processadas. Não posso dizer com certeza se as linhas de 'custo' e 'lucro' já se cruzaram totalmente, mas posso dizer que, em conjunto com as outras razões que descrevi, a Sony estava bastante pronta para terminar com o PS Vita.”

O quê você acha do encerramento do PS Vita? Deixe sua opinião nos comentários.

PS Vita: cartão de memória proprietário pode ter afundado portátil