VW quer entrar na onda do ridesharing com aquisição de concorrente do Uber

1 min de leitura
Imagem de: VW quer entrar na onda do ridesharing com aquisição de concorrente do Uber
Avatar do autor

Ford em parceria com o Uber, GM em parceria com a Lyft... Seria estranho se o maior grupo automotivo do mundo não quisesse surfar essa onda também, certo? Pois bem, a Volkswagen anunciou que está interessada em entrar para o clube das parcerias e que terá uma subsidiária para oferecer serviços de ridesharing.

A montadora alemã parece estar determinada a acabar com a imagem de vilã do mundo depois do escândalo decorrente das fraudes nos relatórios de emissão de poluentes de seus carros a diesel no mundo todo.

Depois do anuncio do seu primeiro carro 100% elétrico, o I.D., a Volks colocou sua mira sobre a Gett, uma startup de transporte que opera em 70 cidades ao longo do globo e que era conhecida como GetTaxi. A VW já havia feito um investimento de US$ 300 milhões na startup no início deste ano.

Essas duas coisas, inclusive, estão bem relacionadas: a montadora já deixou clara a sua intenção de que o I.D. seja disponibilizado para o público com capacidades autônomas já em 2025, visando tornar-se a líder em serviços de mobilidade urbana até lá. Seguindo o exemplo da General Motors com o Lyft, o foco está na criação de uma frota de veículos elétricos e autônomos para abastecer uma companhia de ridesharing.

A “parceria” com a Gett marca o 13º nome na lista de subsidiárias da VW. A montadora já tem planos de oferecer condições especiais para motoristas da Gett em Moscou, na Rússia, que optarem por adquirir carros do grupo Volkswagen, como é o caso do Polo, Jetta e modelos da Skoda, como o Octavia e o Rapid.

A ideia também é disponibilizar veículos que possam ser “alugados” por curtos períodos de tempo pelas pessoas.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
VW quer entrar na onda do ridesharing com aquisição de concorrente do Uber