Desde que foram criados, os cigarros eletrônicos sempre foram alvo de discussões acaloradas. O artigo ainda é proibido no Brasil e alguns estudos mostram que, mesmo sendo menos prejudicial que o produto convencional – com nicotina –, ainda pode trazer malefícios à saúde de seus usuários. Apesar disso, os e-cigs são facilmente importáveis, mas a atividade de alguns hackers pode estar tornando o bastonete vaporizador ainda mais perigoso, só que, desta vez, para o seu computador.

O fato é que o sucesso dos cigarros eletrônicos por todo o mundo acabou fazendo com que o produto se tornasse um alvo bem peculiar de disseminação de vírus. Relatos de consumidores pela internet afora dizem que foi exatamente com esse tipo de pensamento que alguns hackers embutiram um certo malware no próprio hardware de uma linha de e-cigs chinesa.

Como esses dispositivos geralmente são carregados por uma porta USB, através de um cabo ou conectando-se o próprio aparelho, basta que sejam colocados em um computador para que o vírus se transfira para o sistema operacional e comece sua rotina de infecção. Esse tipo de ataque por parte dos hackers, porém, não é nenhuma novidade.

“Malwares vindos diretamente da linha de produção já existem há anos, infectando porta-retratos digitais, mp3 players e outros produtos”, explica Rik Ferguson, consultor de segurança da Trend Micro. Ele acredita que para fugir desse tipo de armadilha, o público deve sempre manter atualizado seus programas de segurança e apenas adquirir dispositivos de empresas conhecidas.

Todos os problemas citados na matéria só vêm a somar ao currículo “invejável” dos cigarros eletrônicos, que também já conta com uma explosão captada em vídeo – e que rendeu também um belo GIF.

Cupons de desconto TecMundo: