Como tanto os eSports quanto os canais de gameplay no YouTube são grandes sucessos no segmento de jogos, não é de se surpreender que esses dois gêneros fossem mesclados na forma de um programa com clima de TV: o Legends of Gaming Brasil. Depois de uma estreia de peso em outubro de 2015, reunindo alguns dos maiores youtubers tupiniquins em duelos emocionantes, o campeonato teve sua finalíssima no último sábado (27), em um evento realizado com toda a pompa no YouTube Space, em São Paulo.

Para essa etapa final do primeiro projeto gamer da EndemolShine Beyond Brasil – braço local da dona do BBB e Masterchef – no país, a empresa preparou um estúdio com toda a pinta de auditório televisivo, contando com apresentados, plateia e convidados bastante especiais. Quem liderou o show foi Felipe Castanhari, do canal Nostalgia, que fez questão de agitar o público que veio prestigiar a disputa pelo título de “lenda” dos games e não se segurou na hora de zoar os youtubers que foram eliminados ao longo do torneio – que teve 16 participantes.

Com a bancada de honra contando com nomes como BRKsEdu, Cocielo, Damiani e Casal de Nerd, entre outros, o clima se manteve animado durante todo o tempo na hora de acompanhar a melhor de cinco entre os finalistas Gabriel Vilhena, o Vilhena, e João Paulo, o Patife, através de um telão montado no estúdio. A jogatina também foi transmitida ao vivo pelo YouTube, no canal do Log Brasil – como ficou conhecido o campeonato –, e alguns dos convidados se revezaram para responder os internautas no chat da plataforma.

Partindo do princípio que as disputas podem ocorrer em diversos títulos nas mais diferentes plataformas, a organização do evento ainda fez questão de criar pequenas brincadeira entre a preparação de uma partida e outra. Prêmios como a frag mais bonita, o melhor meme do campeonato ou a dupla mais romântica entre os gamers forma distribuídos ao longo da noite, contando com votação via Twitter, troféus distribuídos ali mesmo no local e clipes hilários para que a galera pudesse apreciar os momentos mais sem noção da noite.

De tirar o fôlego

Claro que os destaques da noitada gamer foram as finais do Log Brasil, já que os duelos entre Patife e Vilhena foram acirradíssimos e não permitiram que ninguém adivinhasse o resultado da brincadeira até o último momento. Como os dois curtem jogos parecidos e possuem uma habilidade semelhante na hora do “vamos ver” – fator, aliás, que fez com que ambos superassem seus adversários e chegassem ao combate derradeiro –, a sorte foi um fator essencial para decidir quem seria o vencedor de cada rodada.

Isso porque a dupla precisava sortear o game a ser jogado tirando o nome deles de uma urna, com cada um tendo direto a um veto durante a final – para que pudessem bloquear um jogo que fosse considerado muito desfavorável para seu desempenho. Com tudo acertado, a primeira disputa foi no popular Rocket League, um título que ambos os participantes pareciam dominar. Apesar da tensão, Vilhena conseguiu abrir uma vantagem considerável na segunda metade da sessão, fechando sua vitória com um sonoro 9 a 4.

Nesse ponto, mesmo com Patife atrás no placar geral, ficou clara a torcida do público e dos youtubers por ele, com todo esse pessoal vibrando a cada jogada certa dele e vaiando os gols de Vilhena. Com esse clima agitado, João Paulo venceu a disputa seguinte, que rolou no FIFA 16 e apresentou o clássico embate entre Barcelona e Real Madrid. Mostrando habilidade no comando da pelota virtual, o Barça de Patife enfiou 2 a 0 no clube espanhol, deixando tudo igual na contagem da final.

Em seguida, foi a vez do insano e divertidíssimo Gang Beasts se tornar palco da batalha, deixando a plateia com o coração na boca durante a luta dos bonecos coloridos. Dessa vez, Vilhena levou a melhor e fechou a disputa com um 2 a 0, voltando a ficar na frente mais uma vez, precisando de uma única vitória para levantar o caneco. Sem se abalar, Patife conseguiu empatar novamente em uma briga parelha de Shun vs Shun em Cavaleiros do Zodíaco: Alma dos Soldados, que acabou em dois rounds a um para ele.

Emoção final

Com a brincadeira pausada em 2 a 2, o último jogo ocorreu no badalado Counter-Strike: Global Offensive, no clássico mapa Dust. Com o título de lenda na linha, ambos os concorrentes jogaram bastante na defensiva nos primeiros rounds, com a paciência de Vilhena rendendo a ele os primeiros rounds da disputa. Mais uma vez, Patife mostrou sangue frio e, aos poucos, conseguiu comprar equipamentos para virar a partida, se revelando um AWPer com boa mira e ótimos reflexos, conseguindo fechar a conta com 2 a 0 e vencendo o torneio por 3 a 2.

Resultado definido, o vencedor adentrou o estúdio e foi recebido por uma chuva de papéis, aplausos do público e abraços dos colegas – além de um carinho emocionante de seus pais, que estavam acompanhando a saga na plateia. Falando com o TecMundo, João Paulo contou uma pouco sobre sua jornada até ali e comentou sobre a experiência que teve nessa primeira edição do Legends of Gaming no Brasil.

“Todas as etapas foram muito cansativas, mas compensou muito, a experiência foi incrível. Mesmo que eu tivesse perdido hoje, teria sido mágico. Foi um impacto e uma emoção que eu não esperava”, explicou. Ele lembrou ainda que, no começo, ele e outros participantes não haviam levado muita fé na proposta do torneio, mas que, conforme se aproximaram da organização e viram que o projeto era sério e organizado – com equipamentos de primeira e boa estrutura –, ficou muito mais fácil abraçar a ideia.

Analisando sua preparação e performance até a final, Patife confessou que o fato de jogar um pouco de tudo em seu canal no YouTube e de ser um gamer de carteirinha desde cedo ajudaram bastante para que ele surpreendesse seus oponentes. “Eles achavam que eu não iria conseguir ganhar no jogo [de especialidade] deles, e é nessa hora que eu pegava o pessoal desprevenido”, acreditou ser o seu diferencial. Em relação a competição, ele indicou que Phoenix foi seu adversário mais difícil e que Gang Beasts levou o troféu de verdadeira loteria.

Foco na diversão

Também falamos com Vilhena depois de ele obter o segundo lugar na competição, um resultado que não pareceu ter deixado o gamer chateado, apesar de estar fora de sua zona de conforto. “A pior coisa de tudo é a pressão. Enquanto no canal eu sou muito livre, eu zoo e tudo mais. Aqui eu não conseguia falar, não conseguia jogar, foi muito fail, eu estava muito nervoso. Mas foi legal, uma experiência diferente”, brincou.

Questionado se ele mudaria algo para uma próxima edição depois desse primeiro campeonato, em questão de preparação e treinos, o youtuber foi bastante sincero. “Não mudaria nada, cheguei na final zoando. Vamos chegar na próxima final zoando, de novo! A diversão é a base de tudo, meu estilo é zoar e brincar”, finalizou, agradecendo Cocielo por ser um dos únicos a torcer por ele durante toda essa etapa final.

Caso tenha ficado interessado no histórico dos jogadores e queira ver a disputa entre Patife e Vilhena, é possível conferir um compacto das partidas no vídeo acima ou visualizar todo o programa dedicado à final nesse link – bastando separar uma hora e 40 minutos para a aventura.

Trabalho árduo, mas recompensador

Durante o evento, conversamos ainda com Vanessa Oliveira, diretora da EndemolShine Beyond Brasil. “Nossa missão foi ousar e arriscar no campeonato, colocando o dobro de participantes dos torneios lá de fora e fazendo uma final ao vivo. Fizemos uma estratégia bem arriscada, mas porque a gente acreditava no formato, acreditava no potencial dos meninos. E a gente estava trazendo uma produção que não se vê por aí, com mais de 50 profissionais trabalhando. Para internet, a gente está quebrando barreiras”, comentou.

Os números obtidos com essa primeira edição do Legends of Gaming Brasil parecem ter agradado a empresa. “Quando se arrisca assim, você tem que achar que a meta também vai ser alta, senão você não sai do lugar. Até o pessoal do YouTube tomou um susto, quando viu que o canal em três meses tinha 500 mil inscritos e estava com um ótimo engajamento”, explicou a executiva, dizendo ainda que a parceria do portal de vídeos foi fundamental, assim como a dedicação dos youtubers, que viram que o projeto era legal para todo mundo.

Para o futuro, Vanessa indica que devem haver melhorias no formato, adição de novos jogos e integração com os canais-irmãos do Log Brasil. Uma das ideias é que o Patife seja mandado para o exterior para participar de uma espécie de Mundial, competindo contra representantes de países como Inglaterra, França, Alemanha e Estados Unidos – levando o projeto para uma escala global. Mais torneios presenciais e participação em eventos de games no Brasil também estão nos planos da Endemol, já que esses itens são vistos como fundamentais para o setor.

Você costuma acompanhar os youtubers gamers brasileiros? Comente no Fórum do TecMundo!

Cupons de desconto TecMundo: