A empresa dona do aplicativo Uber, que causa polêmicas em todo o mundo por oferecer transporte privado que compete com os táxis, está atrás de um profissional capaz de negociar com políticos e motoristas e, na melhor das hipóteses, aliviar a tensão gerada pela ferramenta no Brasil.

O emprego para Gerente Sênior de Relações Públicas exige um profissional com base em São Paulo ou Brasília para "analisar leis e regulações existentes ou propostas que impactem o Uber e seus parceiros", "desenvolver estratégias para manter os atuais mercados abertos e abrir novos", "formular propostas legislativas e regulatórias em apoio às estratégias" do Uber e "diretamente discutir com agentes políticos, suas equipes e parceiros para educá-los em relação ao modelo e a visão de negócios" do aplicativo.

O profissional precisa ser rápido em fazer amigos e detectar oponentes, viajar quase sem avisos e ter elevado conhecimento das leis relacionadas ao transporte. Atitude é necessária, mas só quando o profissional tiver certeza de que entrará em uma discussão para ganhar. É necessário ainda ter ao menos 12 anos de experiência na área e ser fluente em inglês e português com vocabulário para negócios.

Quem você acha que está certo, a Uber ou os taxistas? Comente no Fórum do TecMundo

Além do salário e da experiência, o profissional recebe créditos do Uber para deslocamento e "a rara oportunidade de mudar o mundo" a partir da plataforma. A candidatura de interessados pode ser feita no site do próprio app.

Vale lembrar que o Uber passa por problemas não só com taxistas que hostilizam motoristas do app, mas também com políticos que buscam leis e limitações contra a ferramenta. Ou seja, o contratado terá muito, muito trabalho.

Cupons de desconto TecMundo: