(Fonte da imagem: Reprodução/The Verge)

Não importa se ações da Apple vão bem ou vão mal. Ser CEO de uma das companhias mais valiosas do mundo – a empresa da Maçã é a atualmente a segunda colocada, atrás apenas da Exxon Mobil – certamente não é uma tarefa das mais fáceis, de forma que o executivo está sempre sob pressão.

Em uma decisão em comum acordo, Tim Cook agora tem mais um motivo para ficar preocupado e motivar os seus colaboradores. Pelo contrato que tem com a companhia, Cook deveria receber um lote com 1 milhão de ações restritas em duas parcelas: metade em 2016 e outra metade em 2021.

Pelo novo acordo, Cook poderá retirar anualmente os seus dividendos. Porém, o executivo terá a missão de manter a empresa entre as mais rentáveis na lista das 500 empresas mais bem-sucedidas do mundo. Caso a empresa fique entre as melhores, ele receberá o valor integral.

Porém, caso a companhia tenha um desenho apenas intermediário na lista das 500 empresas, seus proventos serão reduzidos em 25%. Por fim, se a empresa ficar na parte de baixo da lista, Cook receberá apenas a metade.

Embora o valor das ações da Apple tenha estabilizado depois de sucessivas quedas, a expectativa é que no mês de setembro, com possíveis anúncios de novos produtos, as ações da empresa possam voltar a subir. Caso contrário, será difícil para Tim Cook manter sua bonificação de forma integral no futuro.

Cupons de desconto TecMundo: