Pesquisadores do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts) desenvolveram uma câmera que pode ler as páginas de um livro fechado — sim, sem ter as páginas abertas — por meio da radiação terahertz. A tecnologia, que ainda está em estágio inicial, provavelmente vai preencher os sonhos de muitos espiões e agências de segurança.

Como resumiu a equipe, a radiação terahertz pode ser dita como algo entre a micro-onda e espectros infravermelhos. Ela foi escolhida para os testes pela maneira que reage com químicas diferentes, e essas químicas podem produzir frequências distintas quando interagem com as frequências de terahertz. Dessa maneira, a radiação consegue medir e distinguir diferenças entre tinta e papel em branco, por exemplo.

Para traduzir todas essas frequências, os pesquisadores desenvolveram um software que analisa por meio de algoritmos o que é capturado pela câmera. Esse software ainda foi configurado para ser capaz de ignorar "ruído" e lacunas de ar entre as páginas. Ao final, ele foi capaz de encontrar corretamente as letras em tinta em nove páginas superiores de uma pilha de papéis — mas já consegue "sentir" a presença de até 20 páginas.

Pesquisa

Sobre as utilizações, após refinamentos diversos os pesquisadores acreditam que a câmera pode ser uma ferramenta ótima para museus e historiadores, principalmente no que toca a exploração de documentos sensíveis e catálogos.

Os louros sobre a invenção vão para Barmak Heshmat, Ramesh Raskar e Albert Redo Sanchez (MIT); Justin Romberg e Alireza Aghasi, do Georgia Tech.

Cupons de desconto TecMundo: