Seja tida como tenda dos experimentos mais secretos já realizados pelos EUA ou simplesmente conhecida como o “lugar mais chato do mundo para se trabalhar”, fato é que a Área 51 constitui-se como uma das bases militares mais místicas da atualidade.

Localizada no deserto de Nevada – e com sua existência confirmada oficialmente apenas em 1994 –, a Área 51 tem ainda muitas histórias a contar. E a construção de uma nova edificação registrada recentemente pode agora inspirar o nascimento de mais teorias acerca dos supostos mirabolantes projetos conduzidos pelos órgãos estadunidenses de segurança nacional.

Divulgadas nesse domingo (30), imagens panorâmicas em alta resolução exibem o misterioso novo galpão da Área 51. Capturadas por fotógrafos especializados em conduzir pesquisas sobre o tal local, as fotos deixam clara a intenção dos EUA em abrigar equipamentos que poderão ter até 30 metros de altura – espaço suficiente para abrigar um Boeing 747-8i (cuja altura da cauda chega a quase 20 metros em um corpo com largura de 76 metros).

O estágio de construção exibido pela foto foi flagrado no dia 21 do mês passado.

Mas, afinal, por que a Força Aérea dos Estados Unidos (USAF) estaria interessada em construir um galpão com tamanhas dimensões? Pode ser que o lugar passe a funcionar como um simples depósito ou se configure apenas como outro dos colossais laboratórios da base militar. Acontece, porém, que a edificação vertical sugere a expansão de projetos idealizados há mais de 50 anos: “naves-parasitas” ou “naves-mães” podem estar sendo desenvolvidas.

“Naves-mães”

O conceito de naves capazes de abrigar outros aviões não é recente. Em 1960, o Projeto Tagboard conduziu os cientistas da Área 51 a modificarem um Blackbird A-12. Sob o nome de MD21, a aeronave estava à frente de seu tempo na época em que foi desenvolvida. Criada com o objetivo de servir como nave-mãe, a MD21 acabou por ser deixada de lado após o acontecimento de um trágico acidente (vídeo abaixo): devido à falta de tecnologia de comunicação entre satélites, naves e controles digitais, o projeto precisou ser cancelado.

Nos anos seguintes, mais conceitos de “aeronaves parasitas” foram criados: naves com a função de carregar drones supersônicos de espionagem e até mesmo capazes de colocar satélites em órbita foram outras das projeções feitas. Outro dos projetos aposentados foi o Blackstar: o veículo voador transportaria um jato até a troposfera e o lançaria em direção ao espaço – o que possibilitaria uma economia notável de combustível à nave espacial.

Ataques e voos de reconhecimento na vertical

O novo galpão que está sendo construído sobre os domínios da contundente Área 51 pode ainda abrigar naves capazes de realizar voos de reconhecimento e ataques na vertical – outra original proposta do departamento de defesa norte-americano. Ao se lançar em órbita, uma aeronave poderia realizar manobras ofensivas sobre praticamente qualquer ponto do globo sem o auxílio de naves-mãe ou quaisquer outras tecnologias dedicadas a naves espaciais.

Há uma semana, os EUA testaram o que deveria ser uma arma secreta hipersônica no Alasca (veja mais aqui) – fato este que prova o interesse das forças armadas norte-americanas em aprimorar recursos que fazem uso de dispositivos que justificariam a existência de um laboratório de dimensões generosas.

Manipulação remota de satélites

Especula-se ainda que aeronaves híbridas poderão funcionar como plataformas de lançamento de satélites e como controladoras remotas de dispositivos em órbita. Este tipo de tecnologia pode ser determinante durante situações de guerra: uma nave mãe-híbrida poderia dispensar o uso de tripulação, providenciaria economias de combustível e faria com que a execução de manobras em órbita fosse feita de modo mais eficaz.

Especula-se que o projeto X-37B poderá ser uma aeronave híbrida.

Esse tipo de trabalho poderá ser executado pelo projeto X-37B – empreitada liderada pela USAF que é, até o momento, uma incógnita. Serviços de reabastecimento de naves em órbita ou o transporte de cargas de combustível são também outras das atuações que uma aeronave desenvolvida com largas proporções pode realizar.

Não se sabe exatamente o que o galpão flagrado deverá abrigar. Mais especulações sobre a nova edificação da Área 51 podem ser conferidas, em inglês, por meio deste link. Conheça a história que envolve esta misteriosa base militar ao consultar nosso artigo “ETs e trapaças: tudo sobre a Área 51”.

Cupons de desconto TecMundo: