Ontem (19), a Tesla anunciou boas novas para os fãs de tecnologia. Elon Musk explicou que todos os seus novos veículos contarão com hardware especializado de direção autônoma. Os bólidos devem vir equipados com oito câmeras de 360° com alcance de até 250 metros, 12 sensores ultrassónicos e um sistema de radar que pode “enxergar” na  chuva, névoa ou poeira. Um vídeo recentemente divulgado mostra o equipamento em pleno funcionamento.

Espera-se que o novo sistema seja o mais preciso e avançado desenvolvido até agora, mas não totalmente à prova de falhas. A empresa comentou que, antes de entregar completamente o controle do veículo ao computador, ainda serão necessárias milhões de milhas de direção real. Ou seja, os engenheiros ainda precisam de mais dados e horas de testes para finalizar o software e garantir que ele seja seguro.

Um fato curioso é que os novos Teslas não devem trazer, pelo menos em um primeiro momento, uma série de recursos de segurança que são encontrados nos carros atuais. Frenagem automatizada de emergência, alerta de colisão, seguimento de faixa e controle de cruzeiro serão liberados via atualização somente quando forem “robustamente validados”.

“Como sempre, nossas atualizações de software over-the-air irão manter nossos clientes na vanguarda da tecnologia e continuar a fazer com que cada Tesla, incluindo aqueles equipados com a primeira geração do piloto automático, sejam mais capazes com o passar do tempo”, explicou a companhia.

Musk obviamente não quer dar chance ao azar e, apesar dos avanços tecnológicos, a segurança é um fator crítico que a Tesla está levando muito a sério. Sendo assim, o novo hardware só deve mostrar seu verdadeiro potencial em alguns anos, depois que milhões de horas de testes tenham sido completadas.

O empresário aproveitou a oportunidade para defender o piloto automático da Tesla e criticar os meios de comunicação que noticiam acidentes com os carros da companhia sem levar em consideração o contexto adequado. Musk ainda disse que a direção autônoma é muito mais segura que a humana e que a ênfase da imprensa nos acidentes está “matando pessoas”.

Avançado

A respeito do novo hardware, Musk disse que a “Tesla Neural Net” não precisa de sensores de terceiros e que, embora tenha sido baseada na GPU Nvidia Titan, ela pode rodar em outros processadores. Foi dito que o sistema é 40 vezes mais rápido que o anterior e que ele é basicamente um supercomputador a bordo de um carro. “Nós fomos de uma para oito câmeras. Três delas são câmeras dianteiras, para redundância, e as demais oferecem um panorama de 360 para o restante do carro”, explicou Musk.

Para finais de 2017, foi prometida uma demonstração da direção autônoma, que deve levar um carro de Los Angeles até New York em segurança.

Cupons de desconto TecMundo: