Não é uma cilada, Bino: a Uber realmente quer implementar caminhões autônomos nas estradas norte-americanas. Ainda, não só trazer os veículos grandalhões que dirigem sozinhos, mas também colocá-los para oferecer serviço de frete.

Isso significa que, se você precisar mover toneladas de móveis em uma mudança, basta chamar "Uber Truck" — ok, eles devem chegar com um nome mais apelativo — que ele vai realizar o trajeto de maneira concisa.

Contextualizando: esses caminhões autônomos são de uma startup chamada Otto, que foi capitaneada pelo ex-líder de produto do Google Maps, Lior Ron, e tinha como objetivo transformar caminhões de carga em frotas que dirigem sozinhas. Veja bem: a ideia não é eliminar os motoristas, mas sim implementar uma tecnologia que permite que os motoristas descansem sem a necessidade de parar o caminhão. No final das contas, a Uber comprou a Otto por US$ 680 milhões (R$ 2,1 bilhões).

Em uma entrevista recente para a Reuters, Lior Ron comentou que a Otto vai expandir a própria frota de seis para 15 veículos até o começo do ano que vem. Além disso, que ela vai ajudar a Uber a entrar na indústria de caminhões, que gira em torno de US$ 700 bilhões por ano.

Vale a pena deixar claro que Pedro e Bino não ficariam chateados com a notícia. Como notamos, a Uber e a Otto não vão mandar motoristas para o olho da rua: eles vão ficar na boleia, tomando conta para que nada saia errado, mas vão poder descansar por mais tempo quando a tecnologia estiver finalizada e pronta para tomar as estradas.

Relaxa, Binão!

Cupons de desconto TecMundo: