Bom, isso parece ter escalado de forma rápida: o Uber anunciou que está comprando a Otto, uma startup que vem desenvolvendo sistemas de direção autônoma para caminhões, por uma quantia não revelada. A empresa foi criada por Anthony Levandowski, que trabalhou durante muito tempo no setor de direção autônoma da Google.

A Otto se junta a uma divisão interna do Uber que também está focada em desenvolver veículos autônomos para compor a sua frota – divisão essa que está crescendo de forma assombrosa e que conta com a ajuda da Ford para fazer seu trabalho.

Já a Otto, por sua vez, foi criada no início de 2016 por ex-funcionários de empresas como Google, Apple, Tesla, Cruise Automation e outras marcas intimamente relacionadas ao desenvolvimento de tecnologias autônomas.

O objetivo da companhia é transformar caminhões de carga em frotas que dirigem sozinhas por aí. Para isso, ela está desenvolvendo kits que podem ser adaptados nos caminhões que já existem.

A ideia da Otto, no entanto, não é eliminar os motoristas – ou pelo menos não completamente. A empresa afirma que sua tecnologia permite que os motoristas descansem sem a necessidade de parar o caminhão, além de criar uma rede de transportadores e empresas que será financeiramente benéfica para todos.

O interesse é que o transporte de cargas pesadas seja relacionado aos serviços de entrega que já acontecem no Uber, trabalhando em três áreas específicas: transporte de pessoas, de cargas e entregas. O que não está claro, no entanto, é se a ideia é competir com outras transportadoras tradicionais no mercado norte-americano, como a FedEx e a UPS.

A notícia vem acompanhada da novidade de que o Uber vai colocar um projeto piloto para funcionar já no fim de agosto, oferecendo viagens grátis em carros autônomos da Volvo.

Cupons de desconto TecMundo: