Quanto custa de verdade para se produzir um tablet? Certamente você já deve ter se feito essa pergunta, em especial quando vê os altos preços de eletrônicos praticados no Brasil. Mesmo nos Estados Unidos, alguns produtos não podem ser considerados tão acessíveis assim.

Para fazer esse comparativo entre os tablets, levamos em consideração apenas os preços praticados nos Estados Unidos, uma vez que alguns produtos ainda não estão disponíveis no Brasil. Além disso, o excesso de impostos para a importação de produtos, somado com o baixo número de aparelhos trazidos para cá, faz com que o custo unitário fique ainda maior.

Tablets de 7 polegadas

Neste comparativo levamos em consideração três produtos: o Kindle Fire HD, da Amazon, o iPad Mini, da Apple, e o Nexus 7, da Google. Por terem características parecidas, os custos de fabricação variam muito pouco. Contudo, como cada um deles tem uma proposta diferenciada no mercado, o preço final para o consumidor acaba sendo bem diferente.

Kindle Fire HD

O Kindle Fire HD, da Amazon, tem um custo de fabricação avaliado em US$ 165 (o equivalente a R$ 338) e, para o consumidor final, o produto é vendido a US$ 199 (o equivalente a R$ 407). Na prática, a “margem de lucro” da Amazon sobre o produto é de apenas US$ 34 (o equivalente a R$ 70).

Vale lembrar que nessa margem de lucro está incluindo um custo difícil de ser mensurado, que é o design dos produtos. Esse valor pode ser arbitrado pela empresa como ela bem entender, uma vez que se trata do valor de mercado sobre uma marca, um conceito ou o que ela representa.

No caso da Amazon, a estratégia é vender o maior número possível de aparelhos, ainda que o lucro seja pequeno. Entretanto, quanto maior for o número de tablets vendidos, maior será a venda de aplicativos, filmes e livros na loja virtual da Amazon, espaço onde a empresa realmente lucra com a venda de produtos.

Nexus 7

A estratégia da Google é similar à da Amazon: oferecer um produto mais acessível, tendo uma margem de lucro menor, para ganhar na venda de apps, livros, filmes e músicas. Contudo, o valor aplicado neste caso ao design do produto é um pouco maior, o que resulta em um preço final mais alto para o consumidor.

O custo de fabricação de um Nexus 7 é de US$ 159 (o equivalente a R$ 305), o que o classifica como o modelo mais barato de todos. Porém, o consumidor recebe esse produto e paga por ele US$ 249 (o equivalente a R$ 509). A margem de lucro é de US$ 90 (o equivalente a R$ 184).

iPad Mini

A estratégia da Apple é diferente da dos seus dois concorrentes. Além de atribuir maior valor ao design do produto, ela também não tem como objetivo ganhar apenas na venda de apps, músicas, livros e filmes, mas também na venda direta do aparelho para os consumidores.

Assim, a fabricação de um iPad Mini está avaliada em US$ 188 (o equivalente a R$ 384), mas o produto chega às mãos dos consumidores custando US$ 329 (o equivalente a R$ 673). A margem de lucro, nesse caso, é de US$ 141 (o equivalente a R$ 288). Na ponta do lápis, é quase o valor de dois produtos.

Tablets de 10 polegadas

Entre os tablets de 10 polegadas, a categoria de ponta entre os aparelhos, a proposta muda um pouco. Como não se tratam de produtos de entrada, as fabricantes se permitem investir um pouco mais na produção, tendo custos de fabricação mais altos e margens de lucro maiores. Entretanto, a disparidade entre os perfis é maior nesse sentido.

Samsung Galaxy Note 10.1

Entre os principais tablets, o Samsung Galaxy Note 10.1 é que tem o menor custo de produção, estando avaliado em US$ 260 (o equivalente a R$ 531). Contudo, para o consumidor final, o preço praticado é de US$ 499 (o equivalente a R$ 1.020). A margem de lucro, nesse caso, é de US$ 239 (o equivalente a R$ 488).

iPad 4

O tablet que possui o custo mais alto de produção é o iPad 4. Sua fabricação está avaliada em US$ 306 (o equivalente a R$ 624) e ele chega às mãos do consumidor por US$ 499 (o equivalente a R$ 1.020). Mesmo com um custo maior de produção, a margem de lucro é menor do que a do produto da Samsung, chegando US$ 193 (o equivalente a R$ 393).

Surface RT

Se você imaginou que a Apple seria a empresa com o produto mais caro ou com a maior margem de lucro, ficará surpreso em conferir que, nesta categoria, a Microsoft “lidera” em quase todos os quesitos. O custo de produção do tablet fica em uma faixa intermediária, US$ 271 (o equivalente a R$ 551).

Todavia, o preço final para o consumidor é de US$ 599 (o equivalente a R$ 1.219), o que proporciona uma margem de lucro de US$ 328 (o equivalente a R$ 667). É como se você pagasse por dois produtos ao levar um deles para casa. A explicação para a margem acima dos demais concorrentes pode estar na demanda do modelo.

Quanto menor for a procura, maior é o custo unitário (que inclui distribuição, marketing, suporte, entre outros itens). Se for esse o caso, a tendência no futuro é que, com um aumento nas vendas, esse custo possa cair, mas trata-se de uma hipótese. Por enquanto, o posto de tablet mais caro continua sendo da Microsoft. 

Cupons de desconto TecMundo: