Por um bom tempo, a transmissão de arquivos via torrent ficou com um estigma forte de ligação com downloads ilegais e pirataria de programas. A tecnologia, no entanto, é mais do que adequada para uma boa distribuição de conteúdo e de dados através da rede. Apostando no recurso, a galera do portal BitTorrent resolveu anunciar a primeira versão completa de seu app dedicado ao streaming: o BitTorrent Live.

Em desenvolvimento há vários anos, o aplicativo deve fazer sua estreia na Apple TV ainda nesta semana, mas em outras plataformas – como Android e iOS – é preciso aguardar até meados de junho para experimentar o sistema. A ideia é que o software traga uma boa quantidade de material gratuito para os usuários, indo desde canais de esportes de contato (MMA e boxe) até soluções para uma vida saudável ou produções voltadas para cinema e música. Claro que, pelo menos inicialmente, o conteúdo oferecido vem de pequenos grupos ou empresas.

Aplicativo deve facilitar a distribuição de conteúdo ao vivo na web

A marca promete ainda novos parceiros e canais, aumentando consideravelmente as opções para o público. Vale notar que, apesar de por enquanto o serviço não exigir nenhum tipo de pagamento, estão agendados para o futuro planos de assinatura para quem se interessar suficientemente pela empreitada, um sistema de anúncios para não assinantes e até a tentativa de emplacar programas premium – que deverão ser adquiridos no clássico esquema pay-per-view, no qual são feitas cobranças individuais para determinados eventos.

Como o produto vai trabalhar com vídeos ao vivo, a escolha por um sistema de distribuição baseado em torrent pode se mostrar essencial para viabilizar a exibição e o consumo dos itens sem uma longa espera – ou sem se apoiar em servidores caros e robustos para dar conta da demanda. A estratégia, segundo a desenvolvedora, é que o custo de transmissão seja dividido entre a conexão de todos os usuários conectados, transformando, de certa forma, cada espectador em um semeador dos clipes – permitindo latências inferiores a 10 segundos.

Bom, bonito e barato

Para entender como o uso da tecnologia de distribuição de conteúdo é importante, a própria empresa, em seu comunicado oficial, citou como gigantes do esporte no EUA sofrem para conseguir fazer suas transmissões pela web para o máximo de clientes possível. “Conseguir 10 milhões de streams simultâneas no país? Ninguém fez isso. Nem chegaram perto. Você teria que comprar todas as CDNs”, afirmou Bob Bowman, executivo da maior liga de beisebol dos Estados Unidos.

Segundo ele, uma alternativa para não depender dos grandes centros de distribuição de internet – que custam caro e não são facilmente escaláveis – seria a chegada do 5G. Porém, isso demanda anos e mais anos de implementação e adequação de infraestrutura, ao passo que a solução planejada pelo BitTorrent é mais maleável, está disponível agora e se baseia em protocolos amplamente estabelecidos – e, claro, sem necessitar de orçamentos milionários para alavancar o projeto.

A solução planejada pelo BitTorrent é mais maleável, está disponível agora e se baseia em protocolos amplamente estabelecidos – e, claro, sem necessitar de orçamentos milionários para alavancar o projeto

“O streaming P2P é um retorno ao modelo tradicional das TVs, no qual não há aumento de custos se houver um aumento de audiência”, explicou a companhia em uma postagem anterior em seu blog oficial, mostrando que eles podem ter a fórmula certa para resolver muitos dos problemas e das limitações atuais do setor. No entanto, essa receita mágica pode não ser suficiente para emplacar o serviço, pelo menos não em seu formato atual.

O fato é que o material disponível nesse período de lançamento do BitTorrent Live pode se revelar raso ou fraco demais para atrair o interesse do público, principalmente aqueles que já estão acostumados com a alta qualidade de produtos como Netflix, Hulu ou Amazon Prime ou, ainda, o pessoal que ainda está confortável baixando filmes e séries em alta resolução via torrent – independentemente de ser um método de download ilegal.

De qualquer forma, com a ferramenta pronta e cheia de potencial para o futuro, deve ser questão de tempo até que esse app ou aplicativos semelhantes chamem a atenção de grandes estúdios e canais de TV. Afinal, os grandes players do mercado não costumam perder a oportunidade de adotar recursos baratos e que, acima de tudo, podem ser adaptados às suas necessidades.

Você adotaria um serviço de streaming que usa a sua conexão para distribuir conteúdo? Comente no Fórum do TecMundo!

Cupons de desconto TecMundo: