(Fonte da imagem: Reprodução/Complex)

Apesar de ter sido “convidado a se demitir” da HP por conta de um escândalo sexual em 2010 e feito cortes malucos e gastos abusivos no comando da empresa, Mark Hurd ajudou a fabricante a ser uma das líderes em venda de notebooks e desktops nos anos 2000. E essa competência fez com que, no momento em que ele estava de saída, ele recebesse o apoio de ninguém menos que Steve Jobs.

A curiosidade foi revelada em uma reportagem da Business Week sobre a nova CEO da empresa, Meg Whitman, que tem como missão tirar a companhia da queda-livre e impedir uma crise. Na matéria, é dito que Jobs enviou um email a Hurd oferecendo apoio ou apenas um tempo para conversar.

O já falecido cofundador da Apple teria passeado com o rival por sua propriedade, em Palo Alto, e até se ofereceu para escrever uma carta à mesa diretora da HP. O argumento é de que o Vale do Silício não poderia ficar sem uma empresa forte como a do colega – e sua saída poderia significar (e significou) problemas futuros.

Jobs também teria se sensibilizado porque a demissão de Hurd o lembrou do próprio afastamento na Apple, em 1985 – mas sem acusações de abuso sexual, claro.

Cupons de desconto TecMundo: