(Fonte da imagem: Thinkstock)

“Ofertas incríveis a preços ótimos, confira!”, “Compre Viagra agora, clique aqui!” e outra URLs que não parecem nada confiáveis são cada vez mais comuns em qualquer tipo de site, de grandes portais aos blogs pessoais.

E, agora, eles até tentam enganar você: a mensagem diz algo como “Seu texto é muito bom, parabéns!” (sempre em inglês), mas o título e as últimas palavras do texto contêm a propaganda, tudo para tentar enganar os filtros.

Buscando a origem e o objetivo dessas mensagens, a Kernel Mag lançou um artigo que adentra nas profundezas do spam para contar tudo sobre uma das áreas mais irritantes da internet

Aumente seu... Site

Normalmente, o spam pode ser usado para propagar malwares (quem nunca quase clicou nas “fotos da festa”?) ou como pura propaganda para lojas internacionais e outros serviços. Mas isso nem sempre acontece: há fins ainda mais específicos, como melhorar a colocação do seu site no Google. É assim: se muitos links para seu site forem mencionados em comentários espalhados pela internet, por exemplo, ele é considerado relevante e sobe nas pesquisas.

Spam: nem morto. (Fonte da imagem: Thinkstock)

É o chamado “black SEO”, uma propagação proposital de spam feita pelos próprios administradores de um site. O Google tenta correr atrás de quem faz isso, mas não é fácil rastrear todo mundo que usa esse método ilegal de acordo com as políticas da empresa.

O vilão

Mas como eles surgem? Claro que não é tudo manual: imagine só o trabalho de ter que copiar e colar a mensagem nas caixas de comentários de cada site! A solução é usar programas personalizados, como o GScraper, que se autointitula o melhor na área.

O GScraper. (Fonte da imagem: Reprodução/KernelMag)

Nele, você cria um comentário padronizado e manda o programa procurar, a partir de temas e palavras-chaves, páginas que contenham esses assuntos e permitam comentários – e aí é só fazer a festa nesses sites, por mais errado que isso seja.

Fonte: Kernel Mag

Cupons de desconto TecMundo: