Quem acompanha o mundo da tecnologia há tempos já sabe muito bem quem é Elon Musk e por que ele é considerado o "Tony Stark da vida real".

O investidor foi criador do PayPal, desempenhou papeis importantes em empresas de informática e também é o grande líder por trás de Tesla Motors e SpaceX.

E é justamente sobre esta última empresa que estão os holofotes nesta semana. Isso porque o multimilionário acaba de apresentar os seus projetos para levar a humanidade até Marte.

Já era sabido que a colonização do planeta vermelho estava nos planos de Musk, mas somente agora foram mostrados os instrumentos que vão ajudar o homem a pisar no solo marciano. Está curioso para saber mais detalhes disso? Então confira agora mesmo o que trouxemos para você nesta matéria.

Interplanetary Transport System

Ouvir o termo “Sistema de Transporte Interplanetário” parece estranho fora do cinema, mas é exatamente isso que Elon Musk nos mostrou nesta terça-feira (27 de setembro). É com este foguete (ITS, na sigla em inglês) que a SpaceX pretende levar os seres humanos até Marte e já existem muitos detalhes de como isso vai ser feito.

Bem... É claro que não podemos imaginar que essas viagens sejam feitas com ônibus espaciais comuns, afinal de contas a distância média entre a Terra e Marte fica perto dos 230 milhões de quilômetros — é muito longe, mesmo! Pois é por isso que a empresa de Musk optou por investir pesado no poder do ITS.

O ITS é composto por duas partes principais e que ainda não têm nomes definidos. Por enquanto, o foguete está sendo chamado de BFR (Big Fucking Rocket) e nave espacial de BFS (Big Fucking Spaceship). Os novos foguetes possuem cerca de 122 metros de altura (quase o dobro do Falcon 9) e os propulsores contam com 12 metros de diâmetro. Já a espaçonave conta com 17 metros de diâmetro.

Poder e capacidade

O ITS é capaz de transportar até 100 toneladas de carga, sendo que esse peso é dividido entre mantimentos e pessoas que possam estar envolvidas no projeto. Mas para levantar toda essa massa, você pode imaginar que é necessário muito mais força do que já vimos em outros veículos usados pelas grandes agências espaciais.

É por isso que o BFR deve contar com até 60 motores de foguete Raptor, que podem gerar mais de 226 mil kg de força propulsora cada. Isso parece exagero? Pois para levantar o ITS e mais as 100 toneladas de carga são necessários mais 13 milhões de kg de força de propulsão.

Depois que o Interplanetary Transport System já estiver em órbita, o sistema de propulsor do foguete volta para a Terra e é reenviado para o espaço com os módulos de combustíveis para o ITS. Mas é bom deixar claro que esse combustível não será a única fonte de energia usada na exploração.

O ITS é capaz de transportar até 100 toneladas de carga, incluindo pessoas e mantimentos no caminho para Marte

No espaço e sem gravidade, os combustíveis para os motores propulsores podem ser economizados. Isso porque um sistema de captação solar é aberto na BFS e consegue prover cerca de 200 kW para o veículo espacial. Essa energia deve ser suficiente para as propulsões de ajustes de rota e também para todos os sistemas elétricos e eletrônicos que fazem parte da missão.

O caminho até Marte

De acordo com a SpaceX, o BFS pode seguir seu curso até Marte com a velocidade próxima aos 100 mil km/h. Chegando na atmosfera de Marte, é esperado que o exterior da nave chegue à temperatura de 1.648 graus célsius, mas os materiais do equipamento devem impedir que isso afete sistemas internos e tripulação.

Para frear a BFS e permitir um pouso seguro, a SpaceX afirma que vai usar um sistema de retro propulsão supersônica de altíssimo desempenho. Assim, estima-se que todos cheguem ao planeta com muita segurança, para que então comecem a desempenhar as missões de reconhecimento, exploração e colonização.

Onde seria o lançamento? E quando?

Todos os lançamentos oficiais da SpaceX devem acontecer no Kennedy Space Center, nos Estados Unidos. Em 2014, a empresa de Musk assinou um acordo e alugou a plataforma de lançamento 39A do local pelo período de 20 anos. Ou seja: até 2034 a SpaceX pode usar a plataforma sem precisar se preocupar.

Os planos de Elon Musk são ousados. Ele planeja enviar suas primeiras missões não tripuladas para Marte até o ano de 2018, sendo que a expectativa é de que ele consiga pousar seres humanos no planeta vermelho até 2025.

O CEO da SpaceX também falou sobre os custos de enviar uma pessoa para Marte. Hoje, isso representa um valor próximo a US$ 10 bilhões por pessoa, mas Musk imagina que em alguns anos será possível reduzir isso para cerca de US$ 200 mil por pessoa — sendo que para isso seria necessário uma demanda próxima a 1 milhão de pessoas querendo ir até lá.

Hoje, levar uma pessoa a Marte pode custar até US$ 10 bilhões

Até lá, vários testes devem ser feitos pela companhia para experimentar os novos motores Raptor e também o foguete BFR. Além disso, espera-se que vejamos homologações na espaçonave BFS em um futuro próximo.

Ir a Marte é rentável para a SpaceX?

Definitivamente, não! Mas Elon Musk não se preocupa apenas com o lucro que suas empresas podem gerar. Ele deixa bem claro que o objetivo de levar os homens à Marte são pessoais. Em uma fala do próprio executivo: “A principal razão pela qual estou acumulando ativos ao longo do tempo era para fundar isso. Eu não tenho outra motivação para acumular dinheiro, a não ser a possibilidade de fazer a maior contribuição que eu puder para fazer a vida ser multiplanetária”.

.......

Como fica claro, Elon Musk e a SpaceX não devem poupar esforços para fazer com que os planos de levar vida humana para Marte nos próximos anos. Será que tudo isso vai dar certo? É o que estamos ansioso para saber — e confirmar!

Cupons de desconto TecMundo: