WhatsApp: governo enviará alertas de desastres por mensagens

1 min de leitura
Imagem de: WhatsApp: governo enviará alertas de desastres por mensagens
Imagem: Unsplash

Nessa terça-feira (28), o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) anunciou que fechou parceria com o WhatsApp e a Robbu para oferecer alertas de desastres por meio do aplicativo de mensagens. Assim, o novo serviço enviará mensagens sobre desastres para moradores de todo o Brasil, avisando sobre enchentes, queimadas, entre outros problemas ambientais.

Será necessário se cadastrar para ter acesso ao serviço e, em breve, será disponibilizado um número para interação com o chatbot de emissão de alertas. Dessa forma, o usuário cadastrará seu endereço para receber alertas relacionados à aquela região, além de dicas, melhores rotas de evacuação em caso de desastres, entre outras informações.

O chatbot também estará disponível por link direto ou por código.O chatbot também estará disponível por link direto ou por código.Fonte:  Shutterstock 

Alerta de desastres em breve

Um Acordo de Cooperação Técnica foi assinado nesta quarta-feira (29), pelo ministro do Desenvolvimento Regional, Daniel Ferreira, durante uma transmissão ao vivo realizada no canal do ministério no YouTube. Atualmente, já é possível receber alertas por SMS, Telegram, TVs e via Google.

Também participaram da cerimônia o diretor de políticas públicas do WhatsApp Brasil, Dario Durigan, o diretor comercial da Robbu, Francisco Dabus, e o secretário nacional de proteção e defesa civil do ministério, coronel Alexandre Lucas.

A empresa brasileira Robbu será a responsável por realizar a criação do chatbot do serviço de alertas — inclusive, as informações da plataforma serão enviadas pelos estados e municípios. De acordo com informações do Ministério de Desenvolvimento Regional, o serviço deve começar a funcionar normalmente em até 60 dias.

News de tecnologia e negócios Deixe seu melhor e-mail e welcome to the jungle.
Você sabia que o TecMundo está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.