Apple quebra regras de privacidade e ainda coleta dados, diz jornal

1 min de leitura
Imagem de: Apple quebra regras de privacidade e ainda coleta dados, diz jornal
Imagem: Shutterstock
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.
Avatar do autor

A promessa da Apple de colocar nas mãos do usuário a decisão sobre ser ou não rastreado por aplicativos no iPhone talvez não seja exatamente o que muitos usuários imaginavam. De acordo com uma reportagem do jornal Financial Times, a empresa não parou de coletar dados e enviar informações para redes sociais e outras plataformas, mesmo após o dono do aparelho indicar esse desejo nas configuração.

Esse tipo de controle personalizado, adicionado a partir deste ano pela empresa, gerou atritos em especial com o Facebook — que depende das informações de navegação para direcionar anúncios, entre outros usos.

Rastreamento de apps iOSRecurso do iOS pode impedir que apps façam o rastreamento da atividade do usuário.

Qual o problema?

Segundo a matéria, marcas que incluem Meta e Snap ainda coletam dados dos iPhones, porém só informações anônimas e não conectadas a perfis específicos.

Essa é uma forma de criar uma espécie de "trégua" entre a Maçã e as plataformas que dependem de receber informações sobre o comportamento de usuários e podem ter perdido alguns milhões de dólares em poucos meses sem esses dados. Em vez de bloquear tudo, como antes era prometido, a companhia "afrouxa" a proteção enquanto mantém as identidades protegidas.

Especialistas em privacidade ouvidos pelo FT alegam que a Apple precisa esclarecer a situação. Afinal, a coleta de dados, mesmo que anonimizados, pode levar à interpretação de que a empresa não está seguindo as próprias regras que estabeleceu. Procurada pelo jornal, a empresa não fez declarações específicas sobre o caso.