Windows 11: gerente reafirma necessidade dos requisitos mínimos

2 min de leitura
Imagem de: Windows 11: gerente reafirma necessidade dos requisitos mínimos
Imagem: Divulgação/Microsoft
Avatar do autor

Durante um recente webcast de perguntas e respostas, Aria Carley, gerente de programas da Microsoft, comentou sobre os requisitos mínimos do Windows 11 e como a empresa pode bloquear o download para dispositivos incompatíveis. Segundo a profissional, a empresa poderá determinar, através de telemetria, se o computador com Windows 10 terá suporte para o novo SO e, caso não tenha, a atualização não será oferecida.

Na marca de seis minutos, Carley é questionada sobre a oferta do SO pelo Windows Update em dispositivos incompatíveis. "Nós sabemos que é 'uma droga' que alguns estarão inelegíveis para o Windows 11. (...) O motivo para isso é mantermos os computadores mais produtivos, com uma experiência melhor e, o mais importante, com uma segurança maior".

Aria informou que a empresa não deseja que os consumidores fiquem muito preocupados com os critérios. As especificações técnicas de cada PC serão analisadas por telemetria e apenas os compatíveis receberão a oferta de atualização.

A gerente explicou que as exigências estão presentes porque a Microsoft verificou que certos dispositivos serão impactados negativamente pelo sistema caso não atendam aos critérios de hardware.

A Política de Grupo não permite "burlar" as limitações de hardware para instalar o Windows 11. "Vamos bloquear a atualização do produto porque queremos que seus dispositivos permaneçam seguros", complementou a gerente.

Requisitos Mínimos

Durante o anúncio do SO, o chip de segurança utilizado em placa-mãe trusted Platform Module 2.0 (TPM 2.0) foi revelado como uma das exigências para a atualização, tanto em notebooks quanto em PCs de mesa (desktops).

Alguns computadores contam com a peça desabilitada por padrão, o que pode causar erros no diagnóstico; veja como verificar e ativar a presença do componente no nosso tutorial. Para a surpresa de ninguém, o anúncio da Microsoft fez o preço do módulo subir, além de sofrer uma crise de estoque em junho.

Segundo os requisitos, a versão final do Windows 11 precisa de um processador Intel de 8ª geração Coffee Lake ou Zen 2 da AMD para funcionar. No dia 28 de junho, a marca informou que está testando processadores da Intel da 7ª geração e AMD Zen 1, então uma mudança nos critérios ainda é possível. Veja todos os detalhes técnicos para a atualização no site oficial da empresa.

Atualmente, a Microsoft está testando a versão beta do Windows 11 com desenvolvedores, que não segue os requisitos oficiais. Como pode ser instalada em mais computadores, a edição de testes também deve ajudar a expandir a lista de hardwares compatíveis com o sistema.