Windows 11: baixamos e testamos o sistema operacional [Hands-on]

4 min de leitura
Imagem de: Windows 11: baixamos e testamos o sistema operacional [Hands-on]
Imagem: TecMundo/Reprodução
Avatar do autor

A Microsoft realizará um evento em 24 de junho para apresentar a aguardada nova geração de seu sistema operacional para computadores, mas um grande vazamento já revelou quase tudo sobre o Windows 11. Recentemente, uma build do SO surgiu na internet, e o TecMundo baixou a versão prévia do programa para mostrar algumas das novidades presentes no software.

Como esperado, as principais mudanças do Windows 11 são visuais: a Microsoft descontinuou o projeto do Windows 10X, mas trouxe vários conceitos de design da solução para seu novo SO. Mesmo com a nova cara, a experiência final ainda é bastante similar ao que já temos no bom e velho Windows 10.

Windows 11Área de trabalho do Windows 11.

É importante notar, também, que a build que está rodando na internet não representa a versão final do sistema, e as alterações podem ocorrer até o evento do dia 24. Dito isso, confira nosso hands-on e primeiras impressões com a versão vazada do Windows 11.

Novo visual

As mudanças visuais do Windows 11 começam já na instalação e no boot do sistema. A versão atualizada do software da Microsoft conta com um novo som de inicialização e uma logo diferente, mais plana do que a convencional.

Na Área de Trabalho, o visual agora lembra bastante o cancelado Windows 10X. As bordas do Windows 11 são mais arredondadas, enquanto os ícones do sistema trazem mais cores. Além disso, o menu Iniciar, que costuma estar presente no canto esquerdo da interface, aparece centralizado, mas o usuário ainda tem a opção de mudar para a exibição clássica.

O Windows 11 também conta com mais animações. Enquanto o Windows 10 tem uma experiência mais simples, utilizando degradês e realces, a nova edição do sistema operacional esbanja ícones saltitantes e janelas mais reativas. A experiência de uso fica mais viva e lembra soluções de concorrentes, como o macOS e algumas distribuições Linux.

Minimalista

Mesmo com mais cores e movimentos, o Windows 11 ainda entrega uma usabilidade minimalista e com novidades interessantes. O menu Iniciar está mais conciso, não tem os blocos Live Tiles por padrão e pode ser personalizado apenas com apps mais úteis para o usuário.

A visualização na barra de tarefas também está mais limpa. As notificações e os usuários aparecem acima dos ícones dos programas abertos, enquanto os downloads geram uma pequena e sutil barra de progresso.

As janelas se adaptam melhor à Área de Trabalho e contam com uma opção para dividir o espaço de tela automaticamente. O explorador de arquivos também recebeu mudanças sutis e agora conta com melhor espaçamento entre os itens, enquanto o prompt de comando teve seu visual reformulado.

O gerenciador de temas também foi aprimorado, e o Windows 11 conta com papéis de parede mais diversificados do que a edição anterior do SO. Com isso, o usuário conta com várias opções para personalizar a aparência do computador assim que instala o programa.

Mesmo Windows

Enquanto a cara do novo Windows está diferente, o coração do sistema operacional parece o mesmo de sempre. Passada a contemplação inicial com o visual atualizado, a usabilidade do sistema operacional é bem parecida com a do Windows 10.

Windows 11Terminal e explorador de arquivos no Windows 11.

Os menus de configuração e navegação são exatamente os mesmos que existem na versão atual do sistema. Além disso, os programas do Windows 10, tanto da Windows Store quanto executáveis ".exe" rodam no SO sem nenhuma barreira.

Durante a instalação, o novo sistema operacional até permite realizar um upgrade e manter os apps já existentes no computador. Em outras palavras, a tendência é que o Windows 11 seja mais uma grande atualização do SO atual da Microsoft do que uma solução totalmente nova e que exige um pagamento extra.

Windows 11Barra de tarefas do Windows 11.

Uma das diferenças visíveis no Windows 11 é a aba chamada Widgets. A novidade conta com um feed trazendo informações que antes apareciam nas Live Tiles do menu Iniciar, incluindo tempo e notícias. A build atual não permite customizar o conteúdo exibido, mas a visualização é bem limpa e direta.

O botão de Visão de Tarefas também foi remodelado. A nova edição conta com informações centralizadas e mostra todas as janelas e aplicativos abertos no sistema. No entanto, a função de linha do tempo, que exibe arquivos utilizados anteriormente, não aparece na nova interface.

Vale a pena baixar a ISO?

Atualmente, as principais mudanças exibidas na build vazada do Windows 11 são estéticas. Apesar de a experiência atual não contar com tantos bugs, a dica é não baixar a ISO vazada.

Se você preza pela segurança de seu dispositivo, não quer enfrentar eventuais erros ou não entende muito de computadores, aguarde o lançamento oficial do sistema operacional. Como a procura pela build vazada está alta, é de se esperar que pessoas mal-intencionadas usem o nome do Windows 11 para espalhar vírus de PC.

Enquanto boa parte da experiência do novo Windows já foi revelada na build que está na internet, a tendência é que mais novidades para o sistema operacional sejam mostradas durante o evento em 24 de junho. A Microsoft deixou de enviar atualizações para os membros do programa Insiders e possivelmente está guardando algumas cartas na manga para sua apresentação.

A expectativa é de que a empresa faça uma reforma na Microsoft Store, que não sofreu alterações na build do Windows 11 que testamos. Além disso, a companhia deve revelar mais informações oficiais sobre a disponibilidade do sistema, que deve ser lançado como uma atualização gratuita (pelo menos é o que nós esperamos que aconteça).

Windows 11: baixamos e testamos o sistema operacional [Hands-on]