Após polêmica, Parler está de volta na App Store

1 min de leitura
Imagem de: Após polêmica, Parler está de volta na App Store
Imagem: Parler
Avatar do autor

Cerca de quatro meses após seu banimento, e dois meses após a proibição de seu retorno, a polêmica rede social Parler retorna à App Store. Comprometido no combate ao discurso de ódio, o aplicativo agora possui medidas promovidas por inteligência artificial para bloquear automaticamente postagens marcadas como "ofensivas".

Segundo dados publicados pelo Washington Post, o Parler não perdeu tração e está de volta ainda mais forte após o longo embate contra a Apple. Na recente conclusão, a rede social reconheceu que um bom relacionamento com a Maçã é essencial para o desenvolvimento futuro de seus negócios.

Nesse contexto, ficou estabelecido que o aplicativo para iOS do Parler não exibirá as postagens sinalizadas pela Inteligência Artificial por apresentar conteúdo ofensivo. A empresa tentou negociar com a Apple, em último caso, a implementação de um botão opcional para exibir desse tipo de conteúdo, mas não obteve sucesso.

Entretanto, caso deseje, o usuário ainda poderá acessar as postagens sinalizadas pelo aplicativo para Android ou diretamente pela sua versão para navegadores web.

Com a promessa de oferecer um ambiente com "discurso livre", o Parler ficou conhecido por abrigar postagens controversas. (Fonte: Exame / Reprodução)Com a promessa de oferecer um ambiente com "discurso livre", o Parler ficou conhecido por abrigar postagens controversas. (Fonte: Exame / Reprodução)Fonte:  Exame 

A medida imposta pela Apple acabou por levantar questionamentos sobre sua postura entre a moderação do conteúdo presente em sua loja de aplicativos e a suposta censura indireta de determinadas "opiniões políticas". Parte da preocupação se dá pelo curto prazo anteriormente cedido pela Maçã para que a rede social efetuasse mudanças e evitasse seu banimento.

Por outro lado, contudo, o Parler já havia sido informado diversas vezes na época sobre a crescente onda de postagens violentas em sua plataforma. Sem mudanças, o conteúdo acabou contribuindo com protesto ocorrido no Capitólio norte-americano em janeiro deste ano, o pivô de seu banimento — não só da App Store, mas também da Amazon e Google.

Sob a nova direção do CEO George Farmer, recém anunciado pelo Parler, resta saber se haverá alguma mudança de postura na rede social.

Após polêmica, Parler está de volta na App Store