Por que o Windows 10 tem tantos bugs?

4 min de leitura
Imagem de: Por que o Windows 10 tem tantos bugs?
Avatar do autor

Já virou moda: quando a Microsoft lança uma das atualizações do Windows 10, é questão de tempo até que algum erro apareça. Parece que nunca tivemos tantos bugs diferentes causados por downloads de melhorias e correções que deveriam aprimorar o sistema. Mas por que isso acontece? A quantidade de erros é maior agora mesmo ou é impressão? O que fazer para não ser prejudicado por isso?

Erro no Windows 10

Os bugs são vários e a maioria deles envolve a incompatibilidade com alguma coisa que está em funcionamento. Ou seja, ao instalar a atualização, um serviço que antes estava funcionando de repente passa a apresentar problemas. As falhas podem ser ativadas pelos mais variados setores do sistema, desde o Menu Iniciar até a conexão com outros dispositivos, tipo impressoras.

Vários deles exigem que você cumpra uma série de passos para oerro aparecer, então muita gente nunca vai se deparar com um, enquanto outros são um pouquinho mais comuns. E os erros vão desde falhas visuais mais simples, tipo um ícone fora do lugar, até mensagens de erro e a temida tela azul da morte, que obriga você a reiniciar o sistema e pode resultar em perda de dados se você não salvou aquele documento ou trabalho que já estava na metade.

A boa notícia é que a Microsoft está ativamente vendo os fóruns e as redes sociais, além de canais mais diretos, tipo seções no Reddit e na própria página oficial, para monitorar o surgimento de possíveis problemas. Então ela pode pausar uma atualização problemática e já enviar um patch de correção o mais rápido possível. Mas a má notícia é que isso se tornou tão frequente, com uma demanda tão alta, que a empresa simplesmente não consegue corrigir tudo no tempo desejado.

Por que os erros são constantes?

Uma das explicações mais completas para essa situação veio ainda em 2019, quando um ex-desenvolvedor de softwares da Microsoft, Jerry Berg, que trabalhou na empresa por 15 anos, contou um pouco dos bastidores da empresa e o que mudou por lá no Windows 10.

Segundo Berg, a Microsoft até 2015 tinha uma divisão inteira de funcionários cuja função era testar o sistema operacional de todas as formas possíveis, em vários cenários e com aparelhos diferentes, antes das builds serem liberadas ao público.

Com isso rolavam alguns processos de varredura automatizados também, mas o serviço era mais braçal e feito por pessoas.No entanto, ao longo dos anos a empresa foi transformando essa divisão, principalmente quando ela decidiu focar ao mesmo tempo em três plataformas: o Windows, o Xbox e o Windows Phone.

Provavelmente para economizar tempo e dinheiro, ela passou a fazer os testes só usando máquinas virtuais. Ou seja, o Windows 10 é emulado de forma improvisada em condições que não são necessariamente as mesmas do computador aí da sua casa, por exemplo. Por isso, erros acabam escapando mesmo que eles tentem controlar tudo.

Windows Insider

Uma das soluções encontradas pela Microsoft é o programa Windows Insider, com os fãs e desenvolvedores que ganham acesso antecipado às atualizações e podem enviar tanto críticas, sugestões e avisos de bugs.

Porém, os relatos não são sempre precisos ou perfeitos, e a empresa não consegue fisgar tudo, só os que recebem mais interações. Atualmente, o programa Windows Insiders possui três "camadas" de teste, com pessoas diferentes cadastradas em cada uma delas.

Além disso, as atualizações estão cada vez mais fragmentadas e frequentes, o que tem um lado bom e outro ruim. O lado bom é que as novidades são disponibilizadas mais rapidamente, o que podem ser tantos novos recursos quanto correções, em um ritmo praticamente mensal. O ruim é que isso significa também mais chances do surgimento de bugs e incompatibilidades.

Outro motivo, que não foi apontado por Berg, é que as pessoas estão cada vez mais exigentes e compartilhando as falhas por todos os canais possíveis, de sites especializados a redes sociais. Isso significa que todo e qualquer bug vai acabar virando notícia, até para deixar você informado caso algo estranho aconteça no seu computador.

Mas calma, nem todo bug de atualização é grave ou pode ser facilmente ativado. Além disso, a evolução do Windows 10 desde o seu lançamento em 2015 até agora é enorme, então há quem diga que na verdade a comunidade está pegando demais no pé da empresa e que a situação nem é tão grave assim.

Afinal, Windows 10 é bom?

E aí entramos em um impasse: os bugs podem atrapalhar, mas ficar sem atualizações oficiais é um problema maior, já que elas incluem otimizações e também corrigem eventuais brechas de segurança que podem ser exploradas. Elas podem salvar você de ser vítima de alguma invasão, por exemplo, ou liberar o uso de alguma ferramenta aguardada.

Aliás, esse é o principal motivo para você manter sempre o seu sistema operacional na versão mais atual possível. Ou seja, ainda é melhor manter o seu computador sempre atualizado, confiando que a Microsoft corrija rapidamente os erros encontrados e eles não sejam tão graves assim. Ou, no máximo, esperar um dia ou dois para aguardar relatos de bugs graves.

Mas, e aí? Você acha que o Windows 10 tem muitos bugs mesmo ou é exagero? O que a Microsoft deveria fazer para melhorar esse cenário? Você já foi vítima de algum desses erros depois de baixar uma nova build? Conte para a gente nos comentários!

Por que o Windows 10 tem tantos bugs?