WhatsApp: Índia quer 'bloquear' novos termos de privacidade

1 min de leitura
Imagem de: WhatsApp: Índia quer 'bloquear' novos termos de privacidade
Imagem: Pixabay
Avatar do autor

O governo da Índia decidiu acionar judicialmente o mensageiro WhatsApp para impedir a obrigatoriedade da nova política de privacidade do aplicativo.

De acordo com o site Android Police, a ação partiu do Ministério de Eletrônicos e Tecnologia da Informação do país. O documento solicita ao Facebook, que é dono do mensageiro, que cancele a proposta de alteração de políticas de privacidade ao menos na região.

Além disso, a ação pede maiores detalhes a respeito de quais dados são coletados pelo WhatsApp, citando eventuais preocupações sobre riscos de segurança gerados pela companhia e até a possibilidade de as alterações ferirem leis de privacidade locais.

Processo longo

De forma resumida, as mudanças na política de privacidade do WhatsApp envolvem o compartilhamento de dados em conversas com contas comerciais e o Facebook.

Após um adiamento para melhorar a comunicação com o usuário, os termos devem ser aceitos até maio de 2021. Como já comunicado pela desenvolvedora, o mensageiro terá o uso bastante limitado por quem não conceder as novas permissões ao aplicativo.

A Índia já havia pressionado o WhatsApp em janeiro e fevereiro de 2021 — sendo esta última a partir da Suprema Corte do país. Entretanto, a disputa em âmbito nacional ainda não foi resolvida. O país é o líder mundial em base de acessos do app, com cerca de 400 milhões de usuários ativos. Por enquanto, o WhatsApp não respondeu as últimas acusações do governo indiano.

WhatsApp: Índia quer 'bloquear' novos termos de privacidade