Em meio à covid-19, Microsoft suspende aumento de preço do Office

2 min de leitura
Imagem de: Em meio à covid-19, Microsoft suspende aumento de preço do Office
Avatar do autor

Atualização em 30/03/2020 às 11hs.

Posicionamento da Microsoft: "Avaliamos periodicamente o valor e o preço de nossos serviços com o objetivo de garantir alinhamento com as taxas de câmbio atuais. Recentemente, implementamos em países selecionados, um reajuste de preço para o Office 365 Home e o Office 365 Personal, esta medida foi adotada antes do cenário atual de mercado. Para apoiar nossos clientes que lidam com o impacto da covid-19, decidimos voltar a praticar imediatamente o nosso preço anterior. Continuamos comprometidos em apoiar nossos clientes com os serviços de que precisam para trabalhar e aprender remotamente durante esse momento desafiador”.

Fim da atualização. Segue matéria original:

Nessa última quinta-feira (26), começou a valer o novo preço do Microsoft Office 365 Home anunciado em fevereiro pela empresa. Com um aumento de quase 25%, a assinatura do pacote subiu de R$ 299 para R$ 369 anuais.

A novidade é que, anteriormente, esse reajuste valeria somente para novos compradores. No entanto, segundo a empresa, assinantes também vão ter que desembolsar R$70 a mais se quiserem continuar usufruindo do serviço.

O pacote em questão é o mais completo, permitindo o acesso aos programas Word, Excel, PowerPointOutlook e Access, além de 60 minutos mensais em chamadas no Skype e 6 terabytes de armazenamento em nuvem no OneDrive. Essa assinatura permite o acesso de até seis dispositivos.

Outro pacote que também sofreu reajuste foi o Office 365 Personal que permite o acesso de apenas um dispositivo aos mesmos programas citados anteriormente, com armazenamento em nuvem reduzido a 1 terabyte. A Microsoft ajustou o valor deste plano em pouco mais de 16%, que subiu de R$ 239 para R$ 279 anuais.

E-mail enviado pela empresa aos assinantesE-mail enviado pela empresa aos assinantesFonte:  Microsoft 

Os assinantes foram notificados da mudança em um e-mail enviado pela empresa que justificou o aumento com base nas “mudanças nas condições do mercado”.

A Microsoft pontuou que os clientes vão ter que pagar os novos valores já na próxima fatura, “a não ser que queiram cancelar suas assinaturas antes do próximo pagamento agendado após 26 de março de 2020”.

Diversas empresas do ramo de tecnologia se comprometeram em ações para facilitar o distanciamento físico, como flexibilizar o acesso a ferramentas de trabalho remoto. A liberação da plataforma de comunicação corporativa, Microsoft Teams, por seis meses gratuitos é um exemplo disso.

No entanto, apesar de a Gigante de Redmond ter divulgado os reajustes antes da confirmação dos casos de covid-19 no Brasil, o fato de a decisão ter sido mantida vai na contramão de iniciativas de suas concorrentes e da própria Microsoft.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Em meio à covid-19, Microsoft suspende aumento de preço do Office