Apple riu do Windows, mas adota recurso semelhante 12 anos depois

1 min de leitura
Imagem de: Apple riu do Windows, mas adota recurso semelhante 12 anos depois
Avatar do autor

A versão mais recente do macOS (Catalina) traz um recurso de segurança semelhante ao UAC (sigla em inglês para Controle de Conta do Usuário) do Windows. A funcionalidade serve para impedir que algumas ações sejam executadas no sistema operacional sem que o usuário tenha conhecimento. Isso diminui os riscos de execução de softwares maliciosos, uma vez que a ação necessita da permissão do usuário.

O interessante é que o UAC foi apresentado pela Microsoft em 2007, com o lançamento do Windows Vista. Naquela ocasião, a Apple criou um comercial que zombava do novo SO de sua concorrente exatamente pelo fato de toda ação executada pedir confirmação de quem estivesse operando o computador.

Agora, os próprios usuários do novo macOS estão fazendo a comparação entre os dois sistemas, com várias publicações no Twitter:

“Lembram quando todos ríamos das telas do UAC do Windows Vista?”.

Este outro postou uma imagem com inúmeras telas de confirmação com a legenda “macOS 10.15 Vista”.

Embora os usuários do sistema da Microsoft não tenham gostado do UAC (até hoje muitos desabilitam o recurso), ele é de extrema importância em PCs operados por usuários com conhecimento intermediário (os que não sabem distinguir um app legítimo de um malicioso).

Sua importância também fica evidente, uma vez que é habilitado por padrão até nas builds mais recentes do SO da companhia.

Preocupação precoce?

Um dado interessante é que o recurso de segurança chega ao Mac em um momento em que ele, nem de longe, ameaça a hegemonia do Windows, que, de acordo com a Net Applications, detém mais de 87 % do mercado mundial de desktops. Já o UAC foi lançado pela Microsoft quando seu sistema já reinava absoluto, e respondia, quase que sozinho, por todos os ataques de vírus e outros softwares maliciosos.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Apple riu do Windows, mas adota recurso semelhante 12 anos depois