O que a Siri, IA da Apple, acha do amor, de Deus e da política

1 min de leitura
Imagem de: O que a Siri, IA da Apple, acha do amor, de Deus e da política
Avatar do autor

A jornalista e escritora Wendy Reid Crisp disse uma vez que já era difícil os seres humanos serem educados uns com os outros, imagine com uma secretária eletrônica. Décadas depois, a Apple foi pega reescrevendo os padrões da Siri para que a assistente virtual desse aos humanos respostas neutras a perguntas que, no mínimo, geram reações acaloradas, como questões de gênero, feminismo, racismo e política.

Para a presidente-executiva da Fawcett Society e defensora dos direitos das mulheres, Sam Smether, “o problema com as assistentes pessoais é que elas foram projetadas por homens, com um padrão masculino em mente. Se a Siri e outras IA acreditam em igualdade, são feministas.”

As assistentes de outras empresas realmente o são:  enquanto a do Google responde "Acredito firmemente em igualdade, então definitivamente me considero feminista", a Alexa, da Amazon, diz que "Sim, sou feminista, conforme definido por ...” e emenda uma série de fontes.

Mas até que ponto pode-se cobrar opiniões de um aplicativo baseado em inteligência artificial? E o quanto podemos tentar extrair alguma da Siri, por exemplo? O jornalista Carlos Affonso, titular da coluna TecFront do Tilt (site do portal UOL), entrevistou a assistente do seu iPhone, perguntando sobre religião, política, sentido da vida e sentimentos, entre outros assuntos. Nas questões principais (nazismo, racismo, igualdade social e direito das mulheres) Siri saiu pela tangente com a mesma resposta: “É sua opinião que conta.”

As outras, porém, foram de satisfatórias a inusitadas. Confira.

1. Espiritualidade:

(Fonte: TecFront/Reprodução)
(Fonte: TecFront/Reprodução)

2. Política

(Fonte: TecFront/Reprodução)

3. Sentimentos

(Fonte: TecFront/Reprodução)
(Fonte: TecFront/Reprodução)

Cupons de desconto TecMundo:

Comentários

Conteúdo disponível somente online
O que a Siri, IA da Apple, acha do amor, de Deus e da política