É inegável o fato de que o Apple Watch é um dos dispositivos mais badalados do ano até o momento. Muito do charme do relógio inteligente vem simplesmente do fato de ele ser um produto Apple. Embora ainda não se tenha dimensão do potencial real do aparelho, a empresa da Maçã pulou à frente das concorrentes ao criar um item premium, voltado especificamente para consumidores dispostos a pagar pelo luxo. Porém, uma ex-prata da casa parece ter tido o mesmo pensamento ao criar o primeiro smartwatch de sua nova empresa, o Olio Model One.

Não estamos falando de nenhum peixe pequeno, já que um dos fundadores da Olio é ninguém menos que Steve Jacobs, antigo designer da Apple e um dos grandes nomes do mercado de produtos de tecnologia – com passagens pela Google, Beats, HP e Amazon. Não é de se espantar, portanto, que a companhia tenha apostado todas as suas fichas em um visual sóbrio e único, pronto para atrair os olhares de qualquer fã de relógios de pulso – mesmo aqueles que não se importam tanto com o lado smart da coisa.

A ideia por trás do dispositivo, inclusive, não é fazer frente aos recursos oferecido pelo futuro aparelho da Apple ou os diversos modelos de vestíveis com o sistema da Google. A Olio não quer nem mesmo fazer com que o consumidor largue de vez o seu smartphone. Na verdade, o plano é que o smartwatch agrupe e remova o excesso de mensagens e notificações do celular. “Estamos focados exclusivamente em poupar seu tempo”, explicou Jacobs ao site SlashGear.

A prova disso é que a companhia não escolheu um lado para apoiar na eterna batalha entre os sistemas operacionais mobile. Para funcionar, o Olio Model One precisa estar pareado com um telefone Android (4.3 ou superior) ou iOS (8.0 ou superior) através de conexão Bluetooth. Com tudo acertado, ele passa a mapear as principais ações do seu dia, verificando os períodos com mais atividades e modificando a interface conforme vai se abastecendo de dados sobre o usuário.

Fácil de usar, mas é para poucos

Grande parte das funções e controles do smartwatch podem ser feitos com alguns poucos toques ou deslizando o dedo pelo display sensível. As notificações, por exemplo, são separadas em acontecimento passados e compromissos ainda a cumprir, com ambos os grupos podendo ser acessados facilmente a partir das laterais da tela principal do relógio. Claro que o dispositivo também dá suporte a comandos de voz e conta com um tipo de assistente pessoal chamado Olio Assist, que fica progressivamente mais eficiente com o uso do produto.

Fisicamente, o vestível é muito bonito e resistente, apresentando um corpo redondo de 47 milímetros de diâmetro feito inteiramente em aço inoxidável, sem botões ou qualquer tipo de interferência no design. Olio Model One é resistente à água, frio e poeira, além de contar com um vidro ionizado que cobre toda a área da tela – protegendo a região de impactos, batidas ou quedas. Em questão de autonomia, a bateria interna deve manter tudo funcionando por cerca de dois dias, com a recarga completa sendo feita em apenas uma hora.

Adicionalmente, a peça tem tudo para apresentar uma longevidade maior que a de outros relógios inteligentes ao permitir que o cérebro do sistema seja atualizado futuramente – ainda que não se saiba como será feito esse processo de upgrade. De qualquer modo, essa é uma ótima notícia para quem teme pagar uma nota por um dispositivo apenas para que, pouco tempo depois, ele fique desatualizado logo que uma nova descoberta tecnológica chegar ao mercado.

Tudo isso transmite a sensação de que este é um item de acesso bastante restrito, não é? E esse foi exatamente o objetivo com o projeto. “O Model One da Olio é a antítese de um produto para o mercado de massa”, disparou Jacobs, deixando claro que, no quesito dispositivo premium, o material está mais do que pronto para rivalizar com o Apple Watch. O relógio inteligente já está em pré-venda e terá apenas mil unidades: 500 na versão preta, custando US$ 745, e outras 500 na cor natural do metal, que sai pela “bagatela” de US$ 595.

Cupons de desconto TecMundo: