Há algumas semanas, Mark Brunett, pesquisador na área de segurança, disponibilizou um arquivo com nada menos que 10 milhões das senhas mais usadas nos últimos anos. O estudo exigiu a retirada de informações de várias fontes e resultou em um arquivo de texto gigantesco e que contém todos esses códigos.

Com base nessas 10 milhões de senhas compartilhadas por Brunett, outro pesquisador criou alguns gráficos que mostram como é o comportamento do usuário em relação aos seus códigos. O resultado é interessante e mostra como a concepção de um password sempre acaba seguindo algum padrão, o que pode ser algo bom ou completamente desastroso.

O uso dos anos nas senhas

O gráfico a seguir mostra o uso dos anos com quatro dígitos dentro da gigantesca margem de 10 milhões de senhas divulgadas. Na vertical, é exibia a quantidade em porcentagem que determinado período aparece dentro da amostragem. Na horizontal, os anos utilizados para a composição do gráfico.

Distribuição dos anos nas senhas.

É interessante notar o pico existente no ano de 1987, período que compreende as pessoas que hoje possuem 28 anos e compõem a maior fatia de usuários da internet. Já o ano 2000 provavelmente aparece na lista por ser um número fácil de ser lembrado.

O uso de dígitos nas senhas

O próximo gráfico revela a presença dos números nas 10 milhões de senhas compartilhadas. O “0” está presente em 42% dos códigos, seguido bem de longe pelo “6” (9,6%), “2” (9,4%) e “1” (8,9%).

O uso de dígitos nas senhas.

Sequência de dois dígitos mais usada

A sequência “12” é a mais usada, seguida por “11” e o curioso “69”.

Sequência de dois dígitos nas senhas.

Sequência de três dígitos mais usada

A sequência “123” é a mais usada, seguida por “666” e “777”.

Sequência de três dígitos nas senhas.

Para mais gráficos construídos com base nessas 10 milhões de senhas compartilhadas, acesse este link.

Cupons de desconto TecMundo: